O ministro da Administração Interna, Miguel Macedo, disse esta sexta-feira que o Governo desconhece oficialmente a morte de um alegado jihadista português na Síria.

“Não temos ainda confirmação absoluta dessa informação e portanto não posso, em definitivo, dizer nada sobre isso, temos a informação não absolutamente confirmada ainda”, disse.

O ministro da Administração Interna, que falava aos jornalistas em Portalegre à margem da cerimónia de compromisso de honra de 430 novos soldados da GNR, acrescentou ainda que o Governo está a “procurar saber mais” sobre a situação.

A morte do alegado jihadista português terá ocorrido no final de outubro na sequência de bombardeamentos aéreos, foi na quinta-feira noticiado pelo Público online, citando fontes dos serviços de segurança portugueses.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O jornal Público noticia também que foi “detetado” na linha de Sintra apoio logístico aos denominados “combatentes estrangeiros” que rumam para a Turquia, acrescentando que há dois nacionais no topo da hierarquia do “auto denominado” Estado Islâmico.

“Nós estamos atentos, estamos a terminar um conjunto de trabalhos que espero poder, brevemente, apresentar e que tem a ver com alguns pequenos ajustamentos que é necessário fazer na nossa legislação, mas estamos atentos às situações que se colocam nesse domínio”, disse o titular da pasta da Administração Interna.