O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, estará a planear abandonar a cimeira do G20 mais cedo no domingo e faltar ao almoço oficial, depois das críticas sucessivas dos líderes ocidentais. Tony Abbot, primeiro-ministro australiano, já ameaçou dar um “encontrão” a Putin, David Cameron e Putin tiveram um encontro tenso e até o primeiro-ministro do Canadá lhe disse para sair da Ucrânia.

Segundo a Bloomberg, citando duas fontes não identificadas, Putin está a planear faltar ao almoço oficial do grupo dos países mais ricos e economias emergentes e a antecipar a sua conferência de imprensa sobre a participação da Rússia no G20. O porta-voz do Presidente russo não afasta uma saída mais cedo de Brisbane, na Austrália, onde decorre a cimeira, caso a agenda do G20 já tenha terminado.

Já David Cameron, terá dito ao Presidente russo que este está numa “encruzilhada” e pode vir a ser alvo de mais sanções, depois dos dois terem tido uma discussão “robusta” sobre a situação na Ucrânia. Durante um encontro de 50 minutos, Cameron alertou Putin que a Rússia está arriscar as suas relações com o Ocidente se não acabar com o apoio aos separatistas na Ucrânia.

Vladimir Putin, mais uma vez, negou que tropas russas tenham entrado na Ucrânia e afirmou que está preparado para aceitar um cessar-fogo e parar o fluxo de armamento russo a passar a fronteira. E também disse que está preparado para reconhecer a Ucrânia como “um espaço político único”.

Com estas respostas, Cameron optou pela ironia e pediu para Vladimir Putin ser “realista”.

A cimeira dos G20 decorre até ao final do dia de domingo.