No espaço de três dias, ocorreram duas intoxicações no call center da Portugal Telecom em Beja. No sábado, 17 pessoas foram hospitalizadas e nesta segunda-feira foram mais 41. De acordo com um comunicado enviado às redações pela PT, a origem da doença pode estar numa “intervenção regular de desinfestação”, realizada na sexta-feira passada.

“Após o sucedido a PT Portugal procedeu de acordo com as recomendações da Autoridade para as Condições de Trabalho, nomeadamente, efetuando a limpeza exaustiva dos aparelhos de ar condicionado, dos espaços e o seu arejamento prolongado e de imediato iniciou um processo de averiguação do sucedido”, lê-se no comunicado.

A Portugal Telecom confirmou ao Observador que 41 funcionários foram assistidos pelo Serviço de Bombeiros Voluntários de Beja no seguimento de queixas de má disposição e de náuseas. E depois encaminhados para o Hospital José Joaquim Fernandes, entidade de saúde pública principal em Beja. “Os 41 colaboradores estão em observação e nenhum está em estado considerado grave”, asseguram. No edifício da PT em Beja trabalham 400 pessoas.

Devido ao sucedido, a empresa decidiu encerrar as instalações do call center para se proceder a uma auditoria interna com objetivo de averiguar a origem das más disposições causadas nos trabalhadores daquele edifício. As instalações só deverão ser reabertas após conclusão da auditoria.

No sábado passado, 17 pessoas foram transportadas do edifício da Portugal Telecom para o hospital de Joaquim Fernandes Martins. As vítimas estavam a trabalhar num call center da Portugal Telecom (PT), mas tiveram de ser transportadas até ao Hospital de Beja porque durante a tarde apresentaram sinais de mal-estar, náuseas e vómitos, disse ao Observador fonte oficial do CDOS de Beja.