No quartel dos bombeiros de Livermore, na Califórnia, existe uma lâmpada centenária. Mas não é uma lâmpada centenária qualquer. É a lâmpada mais antiga do mundo ainda em uso.

Corria 1901 quando a então inovadora lâmpada foi instalada. Era verão, e do outro lado da rua uma banda acabava de atuar. O capitão dos bombeiros aproveitou a oportunidade para anunciar a novidade. O quartel tinha acabado de instalar uma nova lâmpada com filamento de carbono e convidava toda a gente para testemunhar a novidade. Mais de 110 anos depois, a lâmpada continua a brilhar como no dia em que foi instalada.

A lâmpada, uma nova e melhorada versão da “lâmpada incandescente”, foi inventada por Adolphe A. Chaillet e fabricada pela Shelby Electric Company. É composta por um filamento de carbono e tem uma potência de 10 watts. Em várias cidades, os quartéis de bombeiros foram incentivados a usá-las por serem mais seguras. Mais recentemente, foi montada uma câmara que filma diariamente a lâmpada centenária. O vídeo é acessível através do site oficial.

O que é que aconteceu em 1901?

O ano de 1901 ficou marcado por vários acontecimentos importantes para além da instalação da lâmpada centenária de Livermore.

Em janeiro, morreu a rainha Vitória, marcando o fim de uma era. O ainda vice-prisidente dos Estados Unidos, Theodore Roosevelt, disse a célebre frase “fale de forma suave e ande com um pau grande” e, ainda no mesmo ano, tornou-se no 26º presidente dos EUA. Em Inglaterra, a Scotland Yard criou um arquivo de impressões digitais e na Suécia foi realizada a primeira cerimónia do Prémio Nobel, em comemoração do quinto aniversário da morte de Alfred Nobel.