15 de novembro, 2014. Tugce Albayrak, 22 anos, estava numa cadeia de fast-food quando ouviu gritos de socorro vindos da casa de banho, na cidade alemã de Offenbach, perto de Frankfurt. O pedido de ajuda pertencia a duas jovens que alegadamente estavam a ser molestadas por um grupo de homens. A estudante de ascendência turca interveio e evitou o pior. Mas o destino que proporcionou às raparigas não seria o mesmo para si. Nesse mesmo dia, Tugce foi agredida na cabeça com uma pedra ou um taco de basebol, num parque de estacionamento, por um dos homens do referido grupo — ato que deixou a jovem num coma irreversível. Esta sexta-feira, perante a confirmação da morte cerebral, os pais decidiram desligar as máquinas que a mantinham ligada à vida. Tugce faria 23 anos nesse dia.

Ainda não são conhecidos os contornos exatos do acontecimento que está a chocar a Alemanha, e que já resultou na detenção do presumível agressor de 18 anos. Mas há informação suficiente para fazer de Tugce uma heroína em território alemão, segundo explica a imprensa internacional. Diz o Independent, por exemplo, que centenas de pessoas juntaram-se em vigílias à luz das velas à entrada do restaurante onde a rapariga confrontou os agressores. Mas a lamentação pública tem-se feito sentir um pouco por todo o país: muitos foram vistos a segurar sinais com a palavra alemã “Danke” (“Obrigada”) escrita, além de t-shirts a ostentar a frase, em turco, “Seni seviyoruz” (“Amamos-te”).

Entretanto, uma petição foi já assinada por mais de 50 mil pessoas para que o presidente daquele país, Joachim Gauck, atribua a Tugce Albayrak a Ordem Nacional de Mérito a título póstumo. Além de estar a considerar a honra, Gauck tomou a liberdade de escrever uma carta de condolências dirigida à família da vítima, a qual considerou de exemplo a seguir por toda a nação.

“Tal como inúmeros cidadãos, estou chocado e consternado por este terrível ato. Tugce ganhou a gratidão e o respeito de todos nós. Ela será sempre um exemplo para nós, todo o país chora convosco. Onde outras pessoas olharam para o outro lado, Tugce mostrou uma coragem e moral exemplares”.