O Parlamento Europeu (PE) e o Conselho da União Europeia chegaram esta segunda-feira a acordo em relação ao orçamento comunitário para 2015, com um cabimento de 141,2 mil milhões de euros para pagamentos e 145,3 mil milhões em autorizações

O acordo foi conseguido após meses de negociações e a rejeição de uma primeira versão do orçamento, tendo a Comissão Europeia avançado com uma segunda proposta no dia 28 de novembro, com cortes e de 800 milhões nas dotações de pagamentos e de 400 milhões nas dotações de autorização.

Em relação aos retificativos para este ano, há uma verba de quatro mil milhões de verbas adicionais para pagar faturas já vencidas.

O acordo alcançado “melhora significativamente a posição inicial do Conselho e impede o colapso orçamental da União Europeia (UE)”, uma vez que evita que se recorra a um sistema de duodécimos, salientou, em comunicado, o eurodeputado José Manuel Fernandes (PSD), que integra a Comissão dos Orçamentos do PE.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

O deputado europeu, que esteve envolvido nas negociações, salientou ainda que “as três instituições da UE acordaram desenvolver um plano de pagamentos para resolver o problema das faturas já vencidas, já que no final deste ano estima-se que o seu montante rondará os 23 mil milhões de euros”.

O acordo saído dos trílogos (reuniões que juntam parlamento, conselho e comissão) será formalmente aprovado na próxima sessão plenária do PE, que se inicia dia 15.