A TAP considera que estão “confirmadas as condições para operar normalmente” nos dias de 27 a 30 de dezembro e afirma que tudo “fará para cumprir as suas obrigações com os passageiros que nela confiaram as suas viagens”.

A TAP reagia assim, em comunicado, à desconvocação por nove sindicatos da greve marcada para os dias de 27 a 30 de dezembro.

A empresa recorda o facto de três sindicatos não terem desconvocado a paralisação de quatro dias e reafirma que se mantém a requisição civil decidida pelo Governo para aquele período.

A Trasnportadora Aérea Portuguesa informa ainda que existe ainda espaço disponível em voos para vários dos seus destinos.

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC), dos Trabalhadores da Aviação e Aeroportos (SITAVA) e Nacional do Pessoal de Voo da Aviação Civil (SNPVAC), “que em conjunto representam mais de 50% dos trabalhadores da TAP”, mantêm a greve.

O ministro da Economia já anunciou, entretanto, o levantamento da requisição civil para os trabalhadores afetos aos nove sindicatos que desconvocaram a paralisação e sublinhou que levantará para os restantes caso suspendam a greve.