A sinagoga de Lisboa acolhe hoje mais uma oração conjunta de judeus, muçulmanos e cristãos a favor da paz, iniciativa que Esther Mucznik, da Comunidade Israelita, considera reveladora da convivência pacífica entre religiões em Portugal.

Muçulmanos, cristãos e judeus promovem desde sexta-feira e até domingo um conjunto de orações pela paz, numa reação aos atentados terroristas de 07 de janeiro em Paris, que causaram 20 mortes.

Esther Mucznik, da Comunidade Israelita de Lisboa, considera a iniciativa “muito importante”, defendendo a união como uma das respostas que as religiões devem dar ao terrorismo.

“É revelador de uma convivência pacífica e amigável que existe entre as religiões em Portugal. […]. Em Portugal essa convivência é antiga. As três confissões religiosas participam em vários fóruns e em comissões […]. É um trabalho conjunto que se desenvolve num sentimento de que todos têm direito à vida e à diferença”, disse Esther Mucznik à agência Lusa.

A falta de diálogo entre religiões não é, para Esther Mucznik, um problema, mas sim o diálogo entre representantes das diferentes religiões não conseguir impedir grupos extremistas e fundamentalistas de fazerem as suas ações.

“Esse é que é o drama e muitas vezes esses grupos radicais e de terror acabam por confiscar ou tentar confiscar o nome de Deus e o nome da religião. Esse é que é o grande perigo”, sublinhou.

Por isso, defende, “há também um combate muito sério a fazer contra o radicalismo, o terrorismo e o fundamentalismo”.

“Não basta termos as nossas reuniões e a nossa convivência é preciso dizer de facto que aquilo não representa as nossas religiões”, disse.

A oração conjunta pela paz está marcada para as 19:30 horas na sinagoga de Lisboa, depois de sexta-feira se ter realizado uma primeira oração na mesquita de Lisboa. Para as 10:30 de domingo está marcada nova oração para a igreja da Paróquia de Campolide.