Rios

GNR identifica suinícola que fez descarga para a ribeira dos Milagres, Leiria

GNR identificou uma exploração suinícola alegadamente responsável pela descarga de efluentes para a ribeira dos Milagres, concelho de Leiria.

Identificação ocorreu após o Núcleo de Proteção de Proteção e Ambiente do Destacamento Territorial de Leiria ter recebido, pelas 17h40 de quarta-feira, uma denúncia

Paulo Cunha/LUSA

A GNR identificou uma exploração suinícola alegadamente responsável pela descarga de efluentes para a ribeira dos Milagres, concelho de Leiria, que ocorreu na quarta-feira, anunciou hoje esta força policial. Em comunicado, o Comando Territorial de Leiria da GNR informa que detetou “uma exploração suinícola autora do ilícito”.

“Foram efetuadas duas recolhas de amostras para entrega no laboratório da ARH-Centro [Administração da Região Hidrográfica do Centro], em Coimbra, para posterior análise”, adianta a GNR, acrescentando que “continuam a ser realizadas diligências de investigação para averiguar a causa da descarga”. Fonte da GNR de Leiria disse à agência Lusa que a exploração foi identificada em “flagrante delito”.

A identificação ocorreu após o Núcleo de Proteção de Proteção e Ambiente do Destacamento Territorial de Leiria ter recebido, pelas 17h40 de quarta-feira, uma denúncia relativa a uma descarga de efluentes pecuários para a ribeira, tendo militares da GNR acorrido de imediato ao local.

A Comissão de Ambiente e Defesa da Ribeira dos Milagres alertou na quarta-feira para uma nova descarga de efluentes suinícolas neste curso de água, um afluente do rio Lis que desagua na Praia da Vieira, Marinha Grande. “Eu passei perto da hora do almoço na ponte [dos Milagres] e notei que a tonalidade da água estava muito diferente. Pelas 17h30 tornei a passar e deparei-me com um cenário que já não se via há meses”, disse na ocasião o porta-voz da comissão, Rui Crespo.

Rui Crespo, que participou a situação à GNR, explicou que face ao “cheiro e a tonalidade da espuma naquela zona” não tem dúvidas de que se trata de uma “descarga de efluentes suinícolas”. “Hoje não choveu e talvez tenham sido traídos por isso”, declarou o responsável, salientando tratar-se de uma “descarga violenta e abundante como não ocorria há algum tempo”.

As descargas para a ribeira dos Milagres ocorrem há várias décadas, prevendo-se que o problema seja resolvido com a construção da estação de tratamento de efluentes suinícolas (ETES), obra no valor de 20 milhões de euros. A ETES do Lis, projetada para a freguesia de Amor, vai tratar cerca de 900 metros cúbicos de efluente diário que, a acrescer aos 280 m3 já instalados na ETAR Norte (estação de tratamento de águas residuais em Coimbrão, Leiria), irá perfazer uma capacidade total de 1.180 m3 por dia.

No final do ano passado, foi anunciado um financiamento de 45% por parte do Proder – Programa de Desenvolvimento Rural para o investimento, cujo concurso público deverá ser lançado em breve.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Exames Nacionais

Reflexos na pauta /premium

Teresa Espassandim

Vamos lá lutar é por aquela décima no exame que a média agradece e os rankings rejubilam! Mas não esquecer o teatro, ERASMUS, o associativismo, o activismo, o desporto, o voluntariado, as viagens…

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)