Não haverá despedimento coletivo na PT Portugal: foi isso que a Altice, grupo francês que vai comprar a empresa de telecomunicações portuguesa por 7,4 mil milhões de euros, garantiu ao ministro da Economia. Pires de Lima reuniu-se esta segunda-feira com o Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom (STPT) para informar os trabalhadores das decisões tomadas a 11 de fevereiro, resultantes de uma reunião que o ministro teve em Paris com os altos responsáveis da Altice.

A Altice, diz o Expresso, vai respeitar os sindicatos e os trabalhadores, pondo de lado “medidas agressivas” no que à redução de pessoal diz respeito. Não obstante, a empresa francesa não deu garantias ao governo a propósito da manutenção de todos os postos de trabalho, segundo comunicou Pires de Lima aos representantes do STPT. A empresa francesa tem adiantado, por exemplo, que pretende cortar nos cargos de chefia.

No outro lado da barricada, Jorge Félix, presidente da direção do STPT, disse que o sindicato espera ter a presença de membros do Governo no momento do acordo que vier a ser assinado pelo sindicato e pela Altice. Porquê? Para dar-lhe “dignidade” e “responsabilidade adequada a um projeto tão importante para o país”.

Já em janeiro último o grupo francês garantia, em carta aberta ao respetivo sindicato, que pretendia honrar os acordos para o futuro que já tinham sido assumidos pela PT.

O gestor da empresa francesa garantiu ao representante dos trabalhadores que a Altice tem uma visão de longo prazo nos investimentos que concretiza e adiantou ter um projeto sólido para o futuro da PT Portugal. Para cumprir este objetivo, a Altice comprometeu-se a investir na operadora de telecomunicações portuguesa para cumprir a meta de se manter líder em investigação e desenvolvimento.