Dexter Goei, presidente executivo da Altice, comprometeu-se, perante o Sindicato dos Trabalhadores do Grupo Portugal Telecom, a honrar os compromissos para o futuro que foram assumidos pela PT Portugal perante os trabalhadores da operadora.

Em resposta a uma carta enviada a 20 de janeiro por via eletrónica pelo dirigente daquele sindicato, Jorge Félix, o responsável máximo da empresa que manifestou a intenção de comprar a PT Portugal, por 7,4 mil milhões de euros, esclarece que as obrigações em matéria de suspensão e de pré-reformas não transitarão para a Oi, mas permanecerão sob a a esfera jurídica da PT Portugal. A resposta de Dexter Goei tem a data desta quarta-feira.

O gestor da empresa francesa garante ao representante dos trabalhadores que a Altice tem uma visão de longo prazo nos investimentos que concretiza e adianta ter um projeto sólido para o futuro da PT Portugal. Para cumprir este objetivo, a Altice compromete-se a investir na operadora de telecomunicações portuguesa para cumprir a meta de se manter líder em investigação e desenvolvimento. Goei adianta, também, que as estruturas locais serão mantidas, dando o exemplo daquilo que afirma ter sucedido em França, na República Dominicana e em Israel, nações onde realizou investimentos.

Um dia antes da realização da assembleia geral, a 22 de janeiro, em que os acionistas da PT SGPS são desafiados a votar a aprovação, ou o chumbo, da venda da PT Portugal, operação pretendida pela Oi, a Altice acena aos trabalhadores com garantias de que será capaz de fornecer estabilidade e flexibilidade financeira à PT.