O Prémio António Sérgio é atribuído anualmente, desde 2012, pela Cooperativa António Sérgio para a Economia Social (CASES), com vista a “homenagear as pessoas singulares e coletivas que mais se tenham distinguido em domínios relevantes para a economia social”.

Este ano, e contrariamente ao que se passou nas edições anteriores, o prémio é atribuído em quatro categorias: Inovação e Sustentabilidade, Estudos e Investigação, Formação pós-graduada e Trabalhos Escolares, tal como é explicado no site da CASES.

Na primeira categoria, o prémio foi atribuído ex-aequo à Cresaçor e à Fruta Feia. A primeira pelo projeto Açores+, pensado para apoiar a comercialização de produtos e serviços com origem na economia solidária dos Açores, e a segunda por reduzir o desperdício alimentar, aproveitando os produtos hortofrutícolas normalmente desperdiçados por causa do seu aspeto.

Na categoria Estudos e Investigação, o júri decidiu premiar o trabalho da Cáritas Portuguesa sobre “Estratégia para a promoção do emprego e dinamização do desenvolvimento local enquanto esteios de inclusão social”, que visa contribuir para o emprego e a dinamização do desenvolvimento local.

Foi também distinguido o curso de pós-graduação em Economia Social – Cooperativismo, Mutualismo e Solidariedade, da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, na categoria Formação Pós-Graduada. Por último, na categoria Trabalhos Escolares, a CASES resolveu distinguir a Escola Profissional Mariana Seixas, em Viseu, pelos vários “projetos empreendedores, inovadores, sustentáveis e com responsabilidade social, que envolveram os alunos ao longo do ano”.

Em causa projetos nas áreas da Ciência, Tecnologia ou Inovação Social, como o ‘SmartGear’ – casaco inteligente para bombeiros ou o ‘WatterSaver’ – sistema de poupança de água potável.

A cerimónia de entrega dos prémios conta com a presença do ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social (MSESS), Pedro Mota Soares, e decorre na antiga Igreja de São Julião, em Lisboa.

Quem foi António Sérgio

O homem que dá nome ao prémio, António Sérgio, foi um pensador, pedagogo e político português que viveu entre 1883 e 1969. Nasceu em Damão, antiga Índia Portuguesa, foi ministro da Instrução Pública na Primeira República, tendo vivido no exílio, em Paris, entre 1926 e 1933. Regressou a Portugal em 1933, altura em que se torna um dos principais defensores do movimento cooperativista e do socialismo democrático.

Segundo o site da CASES, “o nome de António Sérgio foi dado ao Instituto Cooperativo criado pelo 1º Governo Constitucional e está hoje ligado à Cooperativa de Interesse Público que o substituiu para abarcar cooperativas e realidades associativas que sempre foram seus ‘compagnons de route’, o que hoje se designa por Economia social”.