A vítima mortal faleceu no hospital, depois de ter perdido as duas pernas na explosão em frente a uma pizaria no Cairo. Duas outras pessoas ficaram feridas no mesmo ataque, informou um porta-voz do Ministério da saúde Hossam Abdel-Ghaffar. Outros três atentados à bomba visaram duas operadoras de telecomunicações móveis.

As bombas explodiram no exterior de dois edifícios da empresa britânica Vodafone e de uma filial da empresa dos Emirados Árabes Unidos Etisalat, causando apenas prejuízos nas fachadas, disse à AFP um porta-voz do ministro do Interior. As lojas estavam fechadas na altura das explosões.

Militantes têm colocado dezenas de bombas na capital egípcia desde que o exército derrubou o antigo Presidente islamita Mohamed Morsi, em julho de 2013 e reprimiu os seus apoiantes, causando a morte de centenas de manifestantes em confrontos de rua, escreve a AFP.

A maioria das bombas tem sido rudimentar e não tem causado vítimas.