A cidade do Rio de Janeiro completa hoje 450 anos com um programa oficial de comemorações com a presença prevista da Presidente brasileira, Dilma Rousseff. A chefe de Estado é esperada à tarde para a inauguração do túnel Rio 450, que vai ligar o centro à zona portuária da cidade, e que integra o pacote de obras de revitalização com vistas aos Jogos Olímpicos de 2016. Trata-se do primeiro túnel subterrâneo da cidade e tem 1.480 metros de extensão.

As comemorações arrancaram no sábado à noite (hora local), quando cerca de 40 mil pessoas se reuniram nos jardins da Quinta da Boa Vista, antiga residência de D. Pedro II e uma das áreas de lazer mais populares da cidade, para assistirem à atuação de artistas como Caetano Veloso e Gilberto Gil, num espetáculo dos 450 anos da cidade.

Já hoje de manhã, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, recebeu a chave da cidade entregue por um ator caracterizado como Estácio de Sá, o fundador do Rio de Janeiro, em 01 de março de 1565. A cerimónia solene ocorreu na Fortaleza de São João, colada ao Pão de Açúcar, local onde a cidade foi fundada pelos portugueses. “Nós temos que ter muito orgulho de sermos daqui. Carioca não é só quem nasceu no Rio. Para ser um de nós, basta amar a nossa cidade. Que o Rio possa comemorar muitos mais anos”, afirmou o prefeito.

A Igreja dos Capuchinhos, uma das mais tradicionais da cidade e que abriga os restos mortais do fundador Estácio de Sá, recebeu uma missa em homenagem ao aniversário do Rio. A imagem histórica de São Sebastião, padroeiro da cidade, também foi exposta aos presentes.

É esperado para o início da tarde de hoje, na Rua da Carioca, um bolo de 450 metros para comemorar o aniversário da cidade. A cerimónia ocorre todos os anos, mas agora o tamanho da guloseima é recorde e enquanto é servido, o público poderá divertir-se ao som da bateria da escola de samba Estácio de Sá. As festividades seguem noite dentro com ‘shows’ promovidos pela prefeitura em diversos bairros da cidade, com a presença de DJ, blocos de carnaval e tradicionais escolas de samba, como a Portela.