Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A versão portuguesa do programa de empreendedorismo norte-americano Shark Tank vai estrear na SIC a 21 de março, avançaram os jurados ao Observador. Com a primeira temporada totalmente gravada, dois dos investidores – Susana Sequeira, da MTSF Partners, e Mário Ferreira, da Douro Azul – revelaram que ficaram “muito surpreendidos” com as qualidades dos promotores e com a diversidade de projetos.

“Foi uma experiência fora de série, não foi o que estava à espera. Vai ser um programa muito dinâmico, com muitas surpresas”, contou ao Observador Mário Ferreira, fundador da empresa nortenha Douro Azul, que tem “mais de mil camas hoteleiras a navegar”.

O investidor do Porto explicou que aquilo que mais o surpreendeu foi a diversidade dos mais de 80 projetos que foram apresentados ao júri do programa. “Não estava à espera de tanta variedade”, contou, acrescentado que, no total, os tubarões investiram vários milhões de euros nos projetos.

“Apareceram boas ideias, pessoas muito bem formadas e preparadas para defender as suas ideias, mas também apareceu muita loucura, pessoas que não tinham noção nenhuma do que estavam a fazer. Mas isso é normal. A grande maioria dos projetos foi uma surpresa muito positiva”, diz.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Apesar de Mário Ferreira ter considerado que houve projetos “demasiado loucos”, Susana Ferreira avança que “não houve os palhacinhos, como lhes costumo chamar”. A investidora avança que os promotores dos projetos tinham todos qualidade e que houve preocupação da produção.

“Talvez a produção tivesse tido medo que não fossemos investir muito dinheiro e optou por fazer uma escolha mais criteriosa dos participantes”, revelou.

Quanto ao pós-programa, conta que está a exigir muita dedicação e que, agora, analisando bem os projetos, talvez não tivesse investido num ou dois, mas não se arrepende de ter participado. “Gosto de investir. Haja dinheiro e haja retorno”, conta.

Também a fazer consultoria na área de imagem e comunicação aos projetos em que os outros tubarões decidiram investir, Susana Sequeira revela que apareceram ideias “muito cruas” no programa. “Agora sei o que é que investir num negócio exige, em tudo”, conta.

As gravações do programa começaram em dezembro de 2014, e, em dois meses, a produção recebeu cerca de 850 candidaturas, Os tubarões da versão portuguesa são Susana Sequeira (MTSF Partners), João Rafael Koehler (ANJE), Miguel Ribeiro Ferreira (Fonte Viva), Tim Vieira (Special Edition Holding) e Mário Ferreira (Douro Azul).