A Grécia “está pronta, caso as coisas não corram bem, para uma rutura” nas negociações entre Atenas e os representantes das instituições credoras. A ameaça é de um membro destacado do governo grego, Euclid Tsakalotos, que é ministro-adjunto das relações económicas internacionais. O tempo está a esgotar-se para Atenas, que deverá entregar hoje um plano de reformas aos credores. Um plano, contudo, que não garante que o Eurogrupo irá desbloquear novo financiamento para Atenas.

“O povo grego já compreendeu que nós apoiamos os trabalhadores, estamos do lado das pessoas que perderam tanto devido à situação que existia”, afirmou Euclid Tsakalotos em entrevista à televisão Star TV citada pela Associated Press. O responsável garantiu que “estamos prontos, caso as coisas não corram bem, para uma rutura”, sem especificar quais serão as condições que poderiam, concretamente, a esta interrupção das negociações de que fala. Uma rutura que faria, provavelmente, elevar aos níveis mais altos de sempre os receios de uma saída da Grécia da zona euro.

A Grécia está em negociações com equipas da Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional para tentar desbloquear a tranche (ou parte dela) que está pendente e que ascende a 7,2 mil milhões de euros. Seriam recursos muito importantes para a Grécia, que está a viver dias muito difíceis no que diz respeito à tesouraria do Estado.

Euclid Tsakalotos acrescentou, na entrevista à Star TV, o governo tem vindo a ser vago nas suas intenções nas negociações com os parceiros europeus por uma questão de “negociação tática“. “Criamos um clima de ambiguidade com os nossos parceiros acerca das nossas intenções de forma deliberada”, diz o ministro-adjunto. Porquê? “Porque eles têm de ter consciência de que estamos preparados para uma rutura, caso contrário não se trata de uma negociação”, atira Euclid Tsakalotos.

“Lista está pronta” e prevê crescimento de 1,4% em 2015

A Grécia vai enviar esta sexta-feira uma lista de reformas aos representantes das instituições credoras, confirmou às agências noticiosas fonte do governo grego. Segundo a Bloomberg, a lista de reformas parte do pressuposto de que a economia irá crescer 1,4% este ano.

“A lista está pronta”, disse fonte próxima do processo ao The Wall Street Journal. Representantes do governo grego vão viajar até Bruxelas ainda esta noite e durante o fim de semana “o conjunto de reformas será finalizado, em conjunto com os representantes de Bruxelas, até domingo”.