Portugal já é o quinto fornecedor europeu dos vinhos importados pela China e dentro de uma década poderá ser “a próxima tendência” de consumo entre os apreciadores chineses, indicou hoje uma responsável da Associação Interprofissional do Sector Vitivinícola.

“O vinho português está na moda” e, nesta área, “Portugal está cada vez mais no mundo”, disse à agência Lusa Cátia Moura, gestora da associação ViniPortugal para a Ásia.

“Dentro de dez anos teremos oportunidade de ver mais vinhos portugueses nos restaurantes chineses. É para isso que estamos a trabalhar”, acrescentou.

Cátia Moura falava em Pequim, primeira paragem de uma campanha de promoção por quatro cidades chinesas, organizada com uma associação chinesa de importadores, a China Association for Importers & Exporters of Wine & Spirits.

Pelas contas da ViniPortugal, no espaço de seis anos (2008-2013) as exportações de vinhos portugueses para a China subiram de 1,8 milhões de euros para 14 milhões de euros.

Na lista dos países que exportam mais vinho para a China, encabeçada pela França, Portugal está no 11.º lugar, atrás da Espanha, Itália e Alemanha.

Na ação de hoje, com a presença do embaixador de Portugal, Jorge Torres-Pereira, foi servido “um jantar vínico”, em que oito marcas de vinho portuguesas (tinto, branco, espumante e moscatel) acompanharam pratos chineses.

“Não serve de nada apregoar que este ou aquele vinho vai bem com bacalhau se as pessoas aqui não comem bacalhau”, comentou um produtor acerca do jantar.

A promoção prossegue em Qingdao, na segunda-feira, e depois em Dalian e Xian.

O consumo de vinho na China tem vindo a aumentar, acompanhando a acelerada modernização do país, mas o potencial de crescimento continua a ser considerado muito grande.

Per capita, o consumo na China não chega a um litro e meio, enquanto em Portugal ronda os 40 litros.

A ViniPortugal é a associação interprofissional do setor vitivinícola que tem como missão promover a imagem de Portugal enquanto produtor de vinhos.