Era o indicativo que Ana Penha e Costa marcava para ligar para casa: +351 e o português ficava menos cantado mas mais familiar. A viver no Rio de Janeiro, a acabar o mestrado em moda e a fazer um estágio na Osklen, a designer teve a certeza: queria desenhar as suas próprias peças, escolher os seus próprios tecidos, ouvir as tintas misturarem-se nas fábricas, construir coleções, fotografar looks e ver as camisolas, calças e vestidos baloiçarem nos cabides das lojas. Queria, tudo somado, ter uma marca.

Foi já em Portugal, em junho de 2014, que a também surfista lançou a +351, o nome a denunciar não a agenda de contactos do telemóvel mas outra espécie de indicativo — o de que, aqui, é tudo português.

“Os materiais são nacionais e é tudo feito cá”, diz Ana, sentada no showroom que durante dois dias, 15 e 16 de abril, das 12h00 às 20h00, vai servir como pop up store da marca em pleno Chiado (Rua Garrett, 61, 2º andar, Lisboa). Por “cá” entenda-se no norte do país, em Guimarães e Barcelos, onde se concentra uma boa parte da indústria têxtil. “Visitar as fábricas é uma das partes do processo de que mais gosto”, diz a designer de 27 anos. “Às vezes dou por mim a imprimir as minhas estampas e ao lado está a sair Givenchy. Ou então vou à fábrica de sapatos e estão a fazer sandálias Isabel Marant. Nós temos uma indústria têxtil espetacular e muitas vezes não se sabe isso. A Givenchy pode ser acabada em Paris, para dar mais valor à etiqueta que vem na peça, mas na verdade é quase tudo feito cá. E eu acho que o Made in Portugal vai ser cada vez mais valorizado. Nos sapatos já é, mas no têxtil também vai começar a ser.”

Para que não haja dúvidas, algumas das suas t-shirts ostentam orgulhosamente a indicação “designed in Lisbon” a dourado, como uma espécie de medalha no bolso por cima do coração. “As peças são inspiradas no meu lifestyle e no que me rodeia”, diz Ana, e por isso não é de estranhar que a nova coleção de primavera/verão tenha sido lançada com o nome “Reconnect with your nature”. Surfista com alguma experiência de competição, a designer continua a rumar à praia do Guincho para estar em contacto com o mar e o ar livre. “Aquela folha que se vê em algumas peças, apanhei-a no quintal e acabei por digitalizá-la para o computador para fazer experiências.”

8 fotos

Com alguns padrões mas sobretudo malhas e algodões lisos, a +351 aposta na roupa de mulher desde o fato de banho ao vestido festivo, mas tem também algumas peças de homem, como t-shirts e fatos de banho de efeito stone washed, um método de tingimento que passa por “uma máquina gigante, pedras e tintas em pó”.

Sem programas pré-definidos a rodar no tambor, a marca parece ter na atitude leve mas trabalhada a cola que une tudo. “Gosto de fazer roupa confortável, que realça o corpo e o torna sexy de uma forma que não é óbvia”, resume Ana.

Quando olhar para criações como o jumpsuit vermelho, o vestido dourado ou o biquíni às papoilas da nova coleção, não estranhe se ouvir uma espécie de mensagem de voz na cabeça: “ligou para uma marca que agora pertence a quem for mais rápido a apanhá-la.”

Nome: +351
Data: 2014
Pontos de venda: loja online, Loja das Meias
Preços: 35€ a 135€

100% português é uma rubrica dedicada a marcas nacionais que achamos que tem de conhecer.