As autoridades japonesas encerraram um parque de Tóquio após terem sido detetados excessivos níveis de radiação, que se suspeita proceder de alguma material enterrado no recinto, informa hoje a imprensa local.

O parque situa-se perto da estação de Shimoitabashi, numa zona residencial do distrito de Toshima, a norte da capital.

A polícia instalou cercas em torno do parque e fechou todos os acessos enquanto tenta descobrir a origem das radiações.

Um porta-voz do governo local disse à agência Kyodo que, esta quinta-feira, foi detetado um nível de radiação de 480 microsieverts por hora, ou seja, quase metade da dose anual permitida, de 1.000 microsieverts.

O incidente sucede dois dias depois de ter sido encontrado um ‘drone’ no telhado da residência do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, com césio radioativo.

Os isótopos detetados no avião não tripulado (césio-134 e césio-137) não se produzem por si só na natureza e são produto da fissão nuclear, pelo que as autoridades consideram muito provável que o material proceda das emissões resultado do acidente na central de Fukushima, atingida pelo sismo seguido de tsunami de 11 de março de 2011.