Uma startup espanhola lançou o Fairtime, uma aplicação pensada para aqueles minutos perdidos à espera do autocarro ou em desespero na fila da repartição das finanças.

A aplicação funciona como uma espécie de mercado. Uma vez registado, o utilizador tem a possibilidade de trocar alguns minutos do seu tempo livre por uma quantia de dinheiro.

Mas como é que funciona?

Depois de descarregar o Fairtime, o utilizador tem de preencher um perfil, com os seus gostos e passatempos favoritos. Uma vez preenchidos os campos, passa então a poder “vender” alguns minutos do seu tempo livre a marcas e a empresas. Existem três opções disponíveis, de três, cinco e dez minutos.

“Todos temos alguns minutos de que não tiramos partido”, explicou Ignacio Linares, fundador da Fairtime, ao jornal ABC. Mas as vantagens não são apenas para os utilizadores. As empresas também ficam a ganhar.

“As marcas entram em contacto com pessoas que correspondem ao perfil específico da sua audiência. Estão interessadas em contactar especificamente essas pessoas e agora podem fazê-lo numa altura em que estas podem e em que querem prestar atenção”, referiu Linares ao El Mundo.

Sempre que um utilizador completar os requisitos estipulados pelas empresas, receberá uma notificação a informá-lo de que o dinheiro foi adicionado à conta da aplicação. Quando a quantia atingir os dez euros, será transferida para a conta pessoal do utilizador.

A aplicação encontra-se disponível apenas para Android, é gratuita mas ainda só funciona em Espanha.