O comboio, composto por cinco carruagens históricas de madeira datadas do início do século XX, parte do Peso da Régua, distrito de Vila Real, e segue até ao Tua, concelho de Carrazeda de Ansiães, distrito de Bragança, com vista para rio Douro e as vinhas em socalco, em pleno Património Mundial da UNESCO. As viagens vão repetir-se todos os fins de semana até 31 de outubro.

Pelo quarto ano consecutivo, a CP vai recorrer a uma máquina a diesel 1424, em vez da tradicional locomotiva a vapor. A empresa quer adaptar a máquina a vapor a uma tração a diesel em detrimento do carvão, uma intervenção que ainda não foi possível concluir.

Face “ao sucesso que este comboio tem registado nos últimos anos”, fonte da empresa disse à agência Lusa que decidiu aumentar em 2015 o número de circulações, estando previstas 30 viagens, nomeadamente 22 sábados, de 06 de junho e 31 de outubro, e oito domingos, de 16 de agosto a 04 de outubro.

Em 2014, viajaram no comboio histórico 3.416 passageiros, mais 744 do que em 2013 (mais 28%). No ano passado aumentou também a percentagem de passageiros oriundos de países estrangeiros, para os 24,9%. Em 2013, o comboio histórico realizou 13 viagens, transportando 2.672 passageiros, o que correspondeu a um acréscimo de 32% comparativamente a 2012.

Para esta época, a CP decidiu manter o preço dos bilhetes nos 35 euros para adultos, 15 euros para crianças até aos 12 anos. A empresa aposta ainda nos bilhetes combinados, que integram a viagem no comboio histórico e as viagens de ida e volta, a partir de vários pontos do país.

Esta viagem começa na estação do Peso da Régua às 15h22 e, durante todo o trajeto, haverá animação, assegurada pelo grupo de músicos, trajados à época, com cantares tradicionais da região do Douro, e ainda um brinde com vinho do Porto.

A primeira paragem é efetuada na estação do Pinhão, onde os passageiros podem ver os 25 painéis de azulejo do edifício principal e ainda visitar a loja Wine House. Após a partida do Pinhão, o passeio continua até à estação do Tua.