A guarda civil e a polícia espanholas adotaram hoje medidas especiais de resposta a um alegado sequestro aéreo, antes de aterragem em Palma de Maiorca de um avião procedente da Escócia.

De acordo com fontes que integravam o dispositivo de segurança, o piloto enganou-se e comunicou com a torre do aeroporto de Palma de Maiorca, nas ilhas Baleares, através de um canal reservado que deve ser usado em caso de ações terroristas.

Aparentemente, o piloto recorreu àquela via de comunicação por os meios habituais registarem problemas, mas como usou o canal de forma consciente, os responsáveis do controlo aéreo alertaram as forças de segurança.

Quando o aparelho aterrou, cerca das 11h15 locais (10h15 em Lisboa), foi levado para uma plataforma de desembarque isolada e as forças de segurança isolaram o perímetro.

Os agentes da guarda civil entraram no avião e confirmaram não ter ocorrido qualquer situação anormal, tratando-se apenas de um erro de comunicação.