Sindicalistas da Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública mandataram a estrutura para marcar uma jornada nacional de luta para a segunda quinzena de junho, dia 25 ou 26, contra os ataques à Administração Pública e aos seus trabalhadores.

A decisão faz parte de uma resolução aprovada num encontro/debate em defesa das funções sociais do Estado promovido pela Frente Comum, em Lisboa.

No documento é considerado que decorre já o “período de campanha eleitoral e que os trabalhadores precisam de esclarecimento, e para tal é necessário a mobilização e a luta”.

Assim, o órgão coordenador da Frente Comum ficou mandatado para, na sua reunião de 5 de junho, decidir a data da jornada de luta e os seus contornos.