As empresas de turismo mostram-se confiantes quanto à evolução do setor em 2015, tendo especialmente em conta o otimismo quanto às previsões para o verão, época que representa a maior fatia de receitas. De acordo com os dados de um barómetro realizado pelo IPDT – Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo, junto de empresários e responsáveis de organizações do setor, “mais de 70% [dos inquiridos] acreditam que, este ano, as receitas, dormidas e número de turistas vão ser superiores aos números de 2014”.

Os resultados do barómetro, divulgados no final de maio, indicaram também que 37% dos inquiridos acreditam que o gasto médio por turista vai ser superior ao de 2014, enquanto outros 49,4% consideram que se vai manter.

Quanto aos meses de verão, tanto as empresas de hotelaria como as agências de viagens e operadores turísticos anunciaram já que esperam uma melhoria face ao mesmo período do ano passado.

Da parte dos hotéis, um inquérito realizado pela Associação da Hotelaria de Portugal, com base nas reservas efetuadas para o período de julho a setembro, indica que 58% dos hoteleiros inquiridos esperam uma taxa de ocupação por quarto acima dos 80%. Outros 30% responderam que deverá situar-se entre os 61% e os 80%.

“Estes números relevam um otimismo generalizado face às respostas obtidas no mesmo inquérito de 2014, no qual apenas 37% esperavam uma ocupação superior a 80%”, comentou na última semana a AHP, quando foram divulgados os resultados.

Também as agências de viagens e os operadores turísticos esperam que o aumento de deslocações de férias, previsto para este verão, se traduza num crescimento de “dois dígitos” no negócio.

De acordo com o presidente da Associação Portuguesa das Agências de Viagens e Turismo (APAVT), Pedro Costa Ferreira, a principal causa para a melhoria esperada são “os níveis de confiança dos consumidores, que têm vindo a consolidar-se”.

Os últimos números do turismo divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), relativos a abril, apontaram para uma desaceleração face à evolução registada no mês anterior.

Em causa esteve um crescimento de 0,7% no número de dormidas registadas em abril, face ao mês homólogo de 2014, e de 7,8% e 10,9% nos proveitos totais e de aposento, respetivamente.

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), esta evolução homóloga dos resultados de abril de 2015 foi “parcialmente influenciada por um efeito base em 2014, relacionado com a proximidade da Páscoa com o feriado de 25 de abril”.

Em março, as dormidas tinham registado um aumento homólogo de 11,5% e os proveitos totais e de aposento tinham aumentado 14,0% e 15,6%.

No início de junho, o ministro da Economia mostrou-se confiante num 2015 positivo para o turismo, acreditando que serão batidos novos recordes no setor em Portugal.

“Estamos confiantes no desempenho turístico para 2015. Vai ser seguramente um ano novo de recordes”, declarou na altura Pires de Lima, na cerimónia de inauguração da Pousada de Lisboa, do grupo Pestana.