O subcomissário da Polícia de Segurança Pública (PSP) que em maio agrediu um adepto do Benfica em Guimarães pode ser suspenso por três meses e perder até 60% do salário. O Expresso escreveu no sábado que a Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) já entregou à ministra Anabela Rodrigues o relatório aos incidentes e que nele se propõe aquela suspensão. Esta terça-feira, o Diário de Notícias acrescenta o detalhe sobre o ordenado do agente.

Segundo ambos os jornais, o relatório do IGAI está no gabinete da ministra da Administração Interna há já alguns dias, mas Anabela Rodrigues ainda não decidiu se acata as propostas feitas. Filipe Silva mantém-se a trabalhar como comandante da esquadra de investigação criminal em Guimarães, onde nos últimos dias até foi responsável por uma operação que levou ao desmantelamento de uma rede de tráfico de droga.

O subcomissário da PSP justifica ter batido num adepto com um cassetete e com um bastão metálico com o facto de o homem lhe ter cuspido na cara, algo que o agredido, José Magalhães, negou pouco depois do incidente. O homem foi agredido em frente aos filhos e ao pai, que também sofreu algumas agressões. O IGAI chegou à conclusão de que Filipe Silva abusou do poder com as suas ações.

Além da suspensão proposta pelo IGAI, há ainda um processo disciplinar movido pela PSP que está parado à espera da decisão final da ministra. Além disso, há duas queixas-crime pendentes sobre o mesmo assunto, que, a produzirem condenações, podem fazer com que Filipe Silva vá parar à prisão durante oito anos, no máximo.