O enlevo do espírito natalício ainda dominava o mundo quando a notícia surgiu. No dia seguinte ao Natal daquele ano de 2004, que tão agridoce tinha sido para os portugueses, um terramoto e um maremoto varreram o Sudeste Asiático, deixaram um rasto de destruição por nove países e mataram mais de 230 mil pessoas. Alguns familiares de Martunis não escaparam à fúria das ondas, mas o miúdo de sete anos sobreviveu, andou perdido e foi encontrado ao fim de três semanas, apenas com uma camisola da seleção portuguesa para o agasalhar.

O miúdo cresceu. “Eu realmente quero jogar em Portugal e jogar na seleção”, dizia, ainda em dezembro, quando a agência Lusa foi à Indonésia encontrar um adolescente de 17 anos com jeito para a bola e fascinado por Cristiano Ronaldo, que vê “como um pai”. Agora, seguindo as pisadas do ídolo madeirense, Martunis vai mudar-se para a academia de Alcochete e representar o Sporting nas camadas jovens do futebol nacional.

A surpresa surgiu esta quarta-feira à noite, durante a gala dos 109 anos do Sporting Clube de Portugal, que se realizou em Lisboa. Já depois de Rui Patrício ter sido galardoado com o prémio de futebolista do ano, o rapaz indonésio, que ainda mal arranha o português, subiu ao palco do Coliseu vestido com uma camisola oficial do Sporting. E disse:

“Estou muito contente por estar aqui e vou realizar o meu sonho neste grande clube”

Além de ir treinar e jogar pelo Sporting, Martunis vai continuar a estudar e “crescer como homem”, como anunciou o próprio clube na gala.