Portugal exportou para Espanha mais de 29,5 milhões de euros por dia em bens no primeiro semestre do ano, num total de 5,35 mil milhões de euros, um crescimento de 8,4% face ao mesmo período de 2014.

De acordo com dados da delegação da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) em Madrid, as exportações de bens portugueses para Espanha aumentaram 665 milhões de euros nos primeiros seis meses do ano (para um total de 5,35 mil milhões), “fundamentalmente devido à favorável evolução das compras de produtos energéticos”.

“Excluindo os produtos energéticos das trocas comerciais bilaterais, podemos concluir que as exportações portuguesas para Espanha estariam a subir cerca de 3,4%”, acrescentou a AICEP nos dados enviados à Agência Lusa.

A mesma fonte indicou que o aumento global das exportações portuguesas de bens nos primeiros seis meses foi de 1.366 milhões de euros, pelo que os 665 milhões a mais do mercado espanhol representam um em cada dois euros do crescimento das exportações portuguesas no semestre.

Nos primeiros 181 dias do ano, Portugal exportou uma média de 29,55 milhões de euros em bens para o mercado espanhol.

Segundo o Ministério da Economia e Competitividade de Espanha, nos primeiros seis meses de 2015 as exportações espanholas para Portugal registaram um crescimento de 1,6% (para 8.828,2 milhões de euros).

Portugal é o oitavo fornecedor de Espanha (com uma quota de 3,9% sobre o total) e o quinto destino das vendas espanholas (quando em 2014 era o terceiro maior cliente), com uma quota de 7,1%.

Os produtos energéticos (petróleo e derivados) contribuíram significativamente para o aumento das exportações portuguesas para Espanha. Estes produtos, que representam 11,4% do total, aumentaram 75% nos primeiros seis meses do ano, ou seja mais 261 milhões de euros.

Os bens industriais cresceram 12,3% (mais 66 milhões de euros e o setor automóvel aumentou 11,6% (mais 64 milhões de euros).

As comunidades autónomas espanholas que mais compraram a Portugal foram a Galiza (951 milhões de euros, mais 3,1%), Madrid (932 milhões de euros, um aumento de 12,1%) e a Catalunha (898 milhões de euros, mais 5,4%). O maior aumento verificou-se no País Basco, com um crescimento de 30% (para 211 milhões de euros).