Cinco startups, desenvolvidas em Portugal e selecionadas pela Associação Nacional de Jovens Empresários (ANJE), vão representar o país em Bratislava, na Eslováquia, num encontro internacional entre criadores e investidores que se realiza entre 12 e 16 de outubro.

Apesar de inicialmente estarem previstas apenas quatro vagas, o presidente desta associação empresarial, João Rafael Koehler, citado num comunicado enviado este sábado à imprensa, afirma que foi com “orgulho” que assistiu à criação de uma vaga extra por parte da organização do ‘TechMatch Global’, na qual concorrem 60 startups de todo o mundo por um prémio de 300 mil dólares.

“Não temos dúvidas de que muitas outras teriam potencial para estar neste programa, mas estamos plenamente confiantes nesta seleção”, garante o presidente da ANJE, acrescentando que as empresas nacionais vão “ombrear” com os demais empreendedores e “fazer sucesso entre os investidores”.

Depois de seis edições realizadas nos Estados Unidos, o ‘Tech Mach Global’ é organizado pela primeira na Europa e nele vão estar presentes 20 investidores, cinco multinacionais e cinco financiadores de capital de risco.

Os participantes vão ter a oportunidade de apresentar os seus projetos a empresas como a Adobe, a Google, a Honda ou a Sony, entre muitas outras.

As cinco startups selecionadas, dentro das 15 que foram propostas pela ANJE a um painel de “experts” de Silicon Valley, são a Glexyz, Lapa, Movvo, Stuk.io e a Wiseconnect, lê-se na nota informativa.

Os projetos escolhidos para representar Portugal destacam-se pela “incorporação de soluções tecnológicas em diferentes áreas, sendo a “disrupção” um ponto comum entre os empreendedores, explica a ANJE.

A Glezyz é uma plataforma virtual integrada que permite testar e otimizar produtos de forma rápida, a Lapa destina-se a produtos e serviços de proximidade com base em tecnologia ‘Bluetooth’, enquanto a Movvo aposta na incorporação de tecnologia no universo do retalho, tendo já trabalhado com a cadeia de hipermercados Continente e com o festival ‘NOS Primavera Sound’.

A Stuk.io apresenta uma biblioteca de formação para “software developers” que converte informação pré-existente em cursos ‘online’ e, por fim, a Wiseconnect diferencia-se pela incorporação de tecnologia no setor primário, dispondo de um ‘interface’ de ferramentas ‘eco-friendly’ para produtores agrícolas

“Este nível qualitativo é fruto do ecossistema que constituímos e que beneficia da ação cada vez mais concertada de agentes como universidades, centros de transferência de conhecimento, incubadoras, entre outros ‘players’ de apoio à iniciativa empresarial”, destaca João Rafael Koehler.

Durante cinco jornadas, as 60 melhores tecnológicas participam num programa que envolve sessões com especialistas provenientes de Silicon Valley, uma mostra de tecnologia, encontros “b2b” e ainda um “demo day” com interação direta com representantes corporativos.