O Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) informou hoje que detetou documentos falsificados e utilizados por um impostor, correio de droga e acessos indevidos à zona internacional, numa fiscalização a 6069 pessoas por via aérea e marítima.

A operação de fiscalização, realizada entre 17 e 23 de setembro, ocorreu no Aeroporto de Lisboa, Terminal de Cruzeiros e de contentores de Santa Apolónia, Terminal de Contentores Liscont em Alcântara e na Marina da Expo, tendo sido identificadas, no total, 6069 pessoas.

O objetivo, indica o SEF em comunicado, era verificar as condições de entrada e permanência em território nacional, o combate à fraude documental e ao tráfico de seres humanos, nas vertentes aérea e marítima.

Cinco documentos falsificados e dois utilizados por um impostor, um correio de droga e 11 acessos indevidos à zona internacional foram detetados pelo SEF, no resultado da operação.

Os passageiros com documentação falsa foram alvo de recusa de entrada em Portugal, sendo depois deportados para os países de origem.

“Foi ainda detetado um passageiro estrangeiro, proveniente de São Paulo e em trânsito para o voo Acra-São Tomé o qual, após suspeita inicial, se confirmou ser portador de 60 bolotas de produto estupefaciente que transportava no interior do organismo. O mesmo foi detido e entregue às autoridades competentes”, acrescenta.

De entre os voos alvo de controlo, o SEF destacou os provenientes de Acra, Dakar, Bamaco, Luanda, Praia, Belém, Bogotá, Istambul e Dubai, tendo sido controlados cerca de 377 passageiros em trânsito e 4495 na fronteira de entrada.

Na ação dedicada à vertente marítima, foram fiscalizadas 1.197 pessoas, tendo resultado 11 notificações por acessos indevidos à zona internacional.

A operação de fiscalização do SEF, que decorreu entre os dias envolveu tanto a vertente marítima como a vertente aérea na área de Lisboa.