Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

O ainda presidente da FIFA Joseph Blatter veio a público falar sobre a investigação das autoridades suíças contra si. Entre outras coisas, Sepp diz que a investigação “não é correta” e defende a sua decisão de não se demitir mais cedo do cargo que ocupa atualmente.

Sepp Blatter começou a ser investigado na sequência do escândalo de corrupção que levou à detenção de catorze dirigentes da FIFA. O atual líder do órgão máximo do futebol mundial viu recentemente aberto um processo criminal contra si e já foi interrogado pelas autoridades suíças. Mas Blatter, que está à frente do organismo desde 1998, marcou eleições antecipadas para fevereiro de 2016 mantendo-se no cargo até lá.

Em entrevista à revista alemã Bunte, e citada pelo Guardian, Blatter admite agora que a “situação não é agradável” assegurando que “estou a ser condenado sem qualquer prova da má conduta da minha parte. Isto é realmente ultrajante.”

Para além disso, o suíço explica que não tem intenções de sair já da FIFA apesar, e como conta o jornal britânico, dos apelos de grandes patrocinadores nesse sentido: “Isto é apenas uma investigação, não é uma acusação. Eu vou lutar até 26 de fevereiro. Por mim. Pela FIFA. Estou convencido que o diabo virá à luz e o bem prevalecerá.”

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR