Os resultados das eleições canadianas ainda estão a ser apurados mas, como avança a CBC do Canadá,  os liberais já conquistaram a maioria absoluta, tendo eleito 184 deputados, ultrapassando assim a barreira dos 170 deputados necessária à conquista da maioria, e 39,5% dos votos.

Os grandes derrotados da noite foram os conservadores, no poder há uma década. O seu líder Stephen Harper já felicitou Justin Trudeau pela vitória e já anunciou a demissão. O partido fica assim no segundo lugar com 32% dos votos e 100 deputados eleitos.

Em terceiro aparece o Partido Nova Democracia, a antiga oposição de esquerda, que chegou a estar à frente nas sondagens mas que se ficou pelos 19,6% com 42 deputados eleitos.

Já o Bloco Québécois conquistou 4,7% dos votos e 10 deputados, enquanto Os Verdes com 3,4% só conseguiram eleger um deputado.

A vitória do liberais está a causar surpresa no Canadá, até porque nas eleições de 2011 o partido obtivera o pior resultado da sua história, com apenas 34 deputados eleitos. No início da campanha eleitoral o partido de Justin Trudeau aparecia em terceiro lugar na preferência de voto.

Contudo, nas últimas três semanas, o Partido Liberal (de centro-esquerda), liderado pelo jovem político que é filho do antigo primeiro-ministro Pierre Trudeau, conseguira aparecer à frente nas sondagens, e o Partido Nova Democracia (de esquerda), liderado por Tom Mulcair, descera do primeiro lugar para terceiro, conforme refere o Guardian.

Esta tendência foi confirmada nas urnas, resultando no afastamento do atual primeiro-ministro, do Partido Conservador, Stephen Harper. Esta derrota após nove anos no poder levaram Harper a demitir-se da liderança, anúncio que não fez no discurso em que admitiu a derrota, mas que foi mais tarde confirmada pe

A escritora Margaret Atwood desejava uma derrota do Partido Conservador.

Stephen Harper perdera muita da sua popularidade por ter impedido o voto dos canadianos emigrados há mais de cinco anos, insistindo também que vai manter o veto ao uso do véu por mulheres muçulmanas e não se mostrando muito disponível em aceitar refugiados sírios.

Enquanto Harper dizia aceitar 10 mil refugiados ao longo de um mandato de quatro anos, Thomas Mulcair, do Partido Nova Democracia, considerava que o Canadá devia receber 10 mil refugiados até ao final do ano e Justin Trudeau, do Partido Liberal, ia ainda mais longe, considerando que esse número devia chegar aos 25 mil.

Além disso, Stephen Harper perdeu a confiança dos eleitores quando não conseguiu manter as promessas de proteger a economia e o ambiente. Um estudo recente, citado pela Time, refere que 80% dos canadianos acha que o governo deveria fazer mais para reduzir a emissão de gases com efeito de estufa, mas o Canadá é dos países com pior desempenho neste domínio, como já aqui referimos.

Os dois líderes da oposição, porém, não eram muito mais populares que Harper: Justin Trudeau era visto pelos eleitores como muito jovem e o Partido Nova Democracia sempre esteve na oposição sem nunca ter conseguido ser governo. Trudeau venceu este problema, tornando-se um dos mais jovens primeiros-ministros da história do país. Vai assim regressar à casa onde viveu 12 anos na sua infância, quando o pai chefiava o governo canadiano.

Curiosidades sobre as eleições canadianas:

  • Quem reside fora do país há mais de cinco anos não tem direito a votar – cerca de 1,4 milhões de pessoas;
  • Alguns canadianos foram votar com máscaras e capacetes do Dia das Bruxas em protesto contra as muçulmanas que podem votar de véu;
  • 10 mil utilizadores de Facebook juntaram-se ao grupo “On October 19, I will vote veiled” (“No dia 19 de outubro vou votar de véu”);
  • Há mais de duas dezenas de partidos nas eleições canadianas, incluindo o Partido Marijuana Radical, o Partido Pirata, o Marxistas-Leninistas, a Aliança do Norte, a Aliança Animal ou o Partido Rinoceronte;
  • Andrew Coyne, um dos jornalistas mais conservadores do Canadá, segundo o Guardian, deixou de ser editor do National Post por desentendimentos com a administração – não queria que a posição do jornal fosse confundida com a sua, nem queria ser interpretado com apelando ao voto nos Conservadores.
Siga os comentários do jornalista na página do Twitter. Aqui ficam alguns: