A taxa Euribor a seis meses, a mais utilizada em Portugal nos créditos à habitação, foi hoje fixada em -0,002%, negativa pela primeira vez desde sempre e menos 0,003 pontos percentuais do que na quinta-feira. Esta é uma reação do mercado à expectativa de mais estímulos monetários por parte do Banco Central Europeu (BCE), sobretudo tendo em conta que a economia alemã estará a abrandar.

Sobre esta matéria, leia o Explicador preparado pelo Observador em abril.

Nos prazos de três, nove e 12 meses, as Euribor também caíram para novos mínimos de sempre.

A Euribor a três meses, em terreno negativo desde 21 de abril passado, foi fixada em -0,073%, novo mínimo e menos 0,002 pontos do que na quinta-feira.

As taxas Euribor a nove e 12 meses também desceram hoje para novos mínimos de sempre, tendo a taxa a nove meses caído para 0,037%, menos 0,002 pontos do que na quinta-feira.

No mesmo sentido, no prazo de doze meses, a Euribor foi fixada em 0,096%, novo mínimo e menos 0,002 pontos do que na sessão anterior.

As Euribor são fixadas pela média das taxas às quais um conjunto de 57 bancos da zona euro está disposto a emprestar dinheiro entre si no mercado interbancário.