A Rússia foi esta sexta-feira suspensa provisoriamente do atletismo, pela Associação Internacional das Federações de Atletismo, relata o jornal The New York Times. A suspensão impede quaisquer atletas russos de participarem em competições de atletismo.

A Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF) já tinha avisado que ia tomar medidas contra a Rússia, devido ao relatório publicado pela Agência Mundial AntiDopagem, que revelou um esquema de doping no país que é conhecido e apoiado pelo governo.

O presidente da IAAF, Sebastian Coe, afirmou que “a mensagem não podia ser mais forte” e que “fazer batota no desporto, seja ele qual for, não será tolerado”, em declarações citadas pela BBC.

De acordo com a mesma fonte, o ministro do Desporto da Rússia, Vitaly Mutko, terá afirmado que “a suspensão é temporária” e que “o problema pode ser solucionado”. Ainda esta sexta-feira Vitaly Mutko afirmava que a Rússia estava inclusivamente preparada para “criar uma nova organização anti-doping”, já que a anterior perdeu o seu certificado em virtude do escândalo de doping no país.

O conselho da IAAF reuniu-se esta sexta-feira através de videoconferência e votou favoravelmente a suspensão, com 22 votos a favor e 1 contra, segundo o New York Times.

O presidente da IAAF, Sebastian Coe, já tinha avisado que as sanções à Rússia podiam incluir “suspensões provisórias e definitivas e a exclusão da Federação de Atletismo Russa dos eventos futuros da IAAF”.

A suspensão deve-se às alegações da Agência Mundial Antidopagem, que publicou na passada segunda-feira um relatório de 323 páginas, onde acusa o governo russo de ter conhecimento – e inclusivamente apoiar financeiramente – um esquema de doping no país, e onde pede a expulsão da Rússia do atletismo.