O Pentágono acaba de permitir que as militares norte-americanas possam intervir na frente de combate, avança o The New York Times. A notícia foi divulgada esta quinta-feira pelo secretário da Defesa dos Estados Unidos, Ashton Carter.

Esta proposta, que tinha sido apresentada em janeiro de 2013, foi agora aprovada e vai entrar em vigor a partir do próximo ano. “Não vai haver exceções”, garantiu o secretário da Defesa, informando que todas as forças armadas norte-americanas – Exército, Marinha e Força Aérea – concordaram com a medida.

No entanto, o Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos colocaram alguns limites à participação feminina nas batalhas, baseando-se em estudos que afirmam que as equipas mistas têm menos resultados que as masculinas. No entanto, Ashton Carter exigiu que todas as forças do país – incluindo os grupos de intervenção especial – passassem a aceitar mulheres na frente de combate para que homens e mulheres se rejam “pelos mesmos estatutos”.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR