As lideranças políticas de 13 regiões em França e quatro departamentos ultramarinos estão este domingo a votos. A Frente Nacional, de Marine Le Pen, poderá liderar três regiões na primeira volta, conseguindo assim um triunfo significativo para o partido, e Sarkozy, do partidos Os Republicanos, posiciona-se para ser o vencedor formal. Devido aos ataques em Paris, a 13 de novembro, a campanha foi suspensa.

O escrutínio deste domingo e a segunda volta no próximo, a 13 de dezembro, são os primeiros atos eleitorais em França que se realizam sob estado de emergência. A Frente Nacional terá capitalizado votos neste clima de medo com uma retórica de combate ao terrorismo, mas também de rejeição dos imigrantes e dos refugiados que chegam diariamente à Europa. Vão passar à segunda volta do próximo domingo, os partidos com mais de 10% neste escrutínio.

Os resultados do partido de Marine Le Pen estão bem encaminhados em Languedoque-Rossilhão-Midi-Pireneus, Norte-Passo de Calais-Picardia e Provença-Alpes-Costa Azul, segundo as sondagens mais recentes. Mas os resultados podem não ser tão favoráveis na segunda volta.  Já Os Republicanos, de Sarkozy, estão à frente em Auvérnia-Ródano-Alpes, Borgonha-Franco-Condado, Centro-Vale do Loire, Ilha de França (região de Paris), Normandia e País do Loire. A vitória dos socialistas de Hollande parece certa em Aquitânia-Limosino-Poitou-Charentes e Bretanha.

Há ainda várias regiões em que são esperadas votações muito próximas nesta primeira volta e que deverão ser resolvidas nos embates a 13 de dezembro. Os principais líderes políticos como o Presidente François Hollande, Nicholas Sarkozy e Marine Le Pen já votaram. Ao meio-dia, tinham votado 16,27% dos cerca de 44,6 milhões de franceses – um pequeno aumento face há cinco anos, quando 16,07% tinham ido às urnas até essa mesma hora.

As regiões francesas sofreram um processo de reorganização e foram agregadas – num processo similar ao que se passou com as freguesias em Portugal – e muitos dos nomes estão agora alterados. Para além das eleições no território continental (e a Córsega), vão ainda a votos os territórios ultramarinos de Guadalupe, Martinica, Guiana Francesa e Reunião. Uma das figuras que ganhou destaque nestas eleições foi Marion Maréchal-Le Pen, sobrinha da líder da Frente Nacional e que ganhou um lugar no parlamento francês com apenas 22 anos. A jovem, agora com 25 anos, está na dianteira para ganhar a região de Provença-Alpes-Costa Azul.