Governo

António Costa em Cabo Verde com os ministros Santos Silva e João Soares

António Costa faz a sua primeira visita oficial a Cabo Verde entre 19 e 20 deste mês, deslocação em que estará acompanhado pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e da Cultura, João Soares.

STEPHANIE LECOCQ/EPA

O primeiro-ministro, António Costa, faz a sua primeira visita oficial a Cabo Verde entre 19 e 20 deste mês, deslocação em que estará acompanhado pelos ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e da Cultura, João Soares.

Na comitiva do líder do executivo português estará também a secretária de Estado dos Negócios Estrangeiros e da Cooperação, Teresa Ribeiro, numa deslocação que tem o simbolismo político de demonstrar a prioridade diplomática atribuída ao aprofundamento das relações com os países de língua portuguesa.

Fonte do executivo disse à agência Lusa que durante os dois dias de presença em Cabo Verde, sempre na Ilha de Santiago, o primeiro-ministro poderá integrar no seu programa, mais concretamente no dia 20, uma deslocação ao Campo de Concentração do Tarrafal.

Criada em 1936 pelo regime de Oliveira Salazar, a Colónia Penal do Tarrafal destinou-se aos presos políticos considerados mais perigosos pelo Estado Novo e foi unanimemente classificado como o mais violento.

De acordo com a generalidade dos dados históricos, entre 1936 e 1954, ano em que foi encerrado, morreram neste campo de concentração mais de três dezenas de presos, sobretudo comunistas, entre eles o antigo secretário-geral do PCP, Bento Gonçalves (em 1942).

António Costa desloca-se a Cabo Verde a convite do seu homólogo, José Maria Neves, tendo também encontros de caráter institucional com o presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, e com o presidente da Assembleia Nacional, Basílio Ramos.

Nesta série de reuniões, o primeiro-ministro português estará ainda com os líderes partidários do PAICV (neste momento no Governo), Janira Hopffer, e do MPD (o maior da oposição), Ulisses Correia e Silva.

Fonte do Governo português referiu à agência Lusa que as relações políticas, económicas e culturais entre Portugal e Cabo Verde se caraterizam pela “excelência”.

“Neste momento decorrem conversações para o aprofundamento do quadro de cooperação que vigorará entre os dois países nos próximos anos”, adiantou a mesma fonte do executivo de António Costa.

Em declarações à agência Lusa, na passada sexta-feira, o primeiro-ministro cabo-verdiano, José Maria Neves, disse que o seu país está a preparar “um programa para que esta visita seja importante e contribua para reforçar ainda mais as relações entre Cabo Verde e Portugal”.

O chefe do Governo cabo-verdiano adiantou que a visita do homólogo português será também um “contributo” para o reforço da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) e da parceria entre Cabo Verde e a União Europeia.

José Maria Neves disse que os dois governantes vão lançar as bases para a discussão do terceiro Programa Indicativo de Cooperação (PIC) entre os dois países para os próximos quatro anos.

O segundo PIC para o quadriénio 2012-2015, no valor de 56 milhões de euros, inferior aos 70 milhões de euros do anterior, foi assinado em agosto de 2012 pelos então ministros dos Negócios Estrangeiros de Portugal, Paulo Portas, e das Relações Exteriores de Cabo Verde, Jorge Borges.

A última vez que António Costa esteve em Cabo Verde foi em janeiro do ano passado, na qualidade de secretário-geral do PS, para participar no XIV Congresso do Partido Africano para a Independência de Cabo Verde (PAICV).

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Da recuperação da esperança

Filipa Osório

O único factor que efectivamente pode combater a abstenção é a qualidade política. Assim, é importante mostrar ao eleitorado não o prolongamento do sistema, mas sim as existentes alternativas.

Investimento público

A tragédia de Pedro Marques

Inês Domingos
181

Com um quadro Centeno confessou inadvertidamente como foi um dos principais responsáveis pelo desastre de atuação de Pedro Marques, sendo que este também não foi capaz de aplicar os fundos de Bruxelas

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)