Foi identificado o bombista suicida que se fez explodir em Saint-Denis durante a rusga policial que as autoridades francesas ali fizeram, na noite de 18 de novembro. Chama-se Chakib Akrouh, nasceu a 27 de agosto de 1990 na Bélgica e tem origens marroquinas, segundo afirmou em comunicado o procurador do Ministério Público francês, Francois Molins.

O kamikaze foi identificado pelas autoridades a partir da comparação do ADN do seu cadáver com os traços genéticos da sua mãe, relata o jornal francês Le Monde. Isto porque, apesar de ser conhecido pelos serviços antiterroristas belgas há mais de dois anos, o seu perfil genético não constava dos ficheiros das autoridades francesas: o que levou à demora na sua identificação.

Chakib Akrouh é suspeito de ter viajado para a Síria em janeiro de 2013. Segundo o Le Monde, o terrorista belga foi identificado no círculo de relações pessoais de Zerkani Khalid, um responsável pelo recrutamento de combatentes do Estado Islâmico na Bélgica. Foi também através dessa rede de recrutamento que Abdelhamid Abaaoud, o coordenador dos atentados de Paris, se terá juntado à organização terrorista.

O jornal francês adianta ainda que Chakib Akrouh é suspeito de ter participado nos atentados que provocaram a morte de 130 pessoas na capital francesa: em particular, é suspeito de ter participado nos tiroteios que se deram nos cafés situados a oeste de Paris, onde morreram 39 pessoas.

As autoridades francesas acreditam que Chakib Akrouh terá estado dentro de um veículo com Brahim Abdeslam e Abdelhamid Abaaoud (principal coordenador dos atentados), que terão iniciado os tiroteios. Posteriormente, Brahim Abdeslam saiu do carro (um Seat) e fez-se explodir junto ao bar Comptoir Voltaire, deixando os dois restantes ocupantes no interior do veículo.

Estes terão abandonado o veículo em Montreuil (uma comuna francesa, situada no departamento de Saint-Dennis) por volta das 21h50 dessa noite. No interior do veículo, as autoridades francesas encontraram três kalashnikov: uma delas tem os traços de ADN de Chakib Akrouh, o que leva a polícia francesa a acreditar que este era um dos ocupantes do veículo.

Chakib Akrouh e Abdelhamid Abaaoud terão entrado numa estação de metro e foram aí monitorizados pelos serviços de videovigilância. A imagem que se crê ser de Chakib Akrouh assemelha-se fortemente à de um jihadista que terá viajado para a Síria no início do mês de janeiro de 2015, o que leva às suspeitas de que o belga agora identificado terá viajado até ao país ainda este ano.

Os dois terroristas ter-se-ão então escondido num apartamento na rua Corbillon, em Saint-Denis (foram vistos no local por uma câmara de videovigilância, segundo o jornal francês), onde planeavam um novo atentado para o dia 19 de novembro. A incursão policial no local, a 18 de novembro, alterou-lhes os planos, e Chakib Akrouh acionou então o seu cinto de explosivos, suicidando-se e provocando também a morte a Abdelhamid Abaaoud.