Os casinos de Macau fecharam janeiro com receitas de 18.674 milhões de patacas (2.148 milhões de euros), uma queda de 21,4% face ao período homólogo de 2015, indicam dados oficiais divulgados esta segunda-feira.

As receitas do jogo – principal motor da economia de Macau – iniciaram em junho de 2014 uma curva descendente, com janeiro a marcar o 20.º mês consecutivo de quedas homólogas, segundo os dados publicados pela Direção de Inspeção e Coordenação de Jogos (DICJ).

Os casinos de Macau fecharam 2015 com receitas de 230.840 milhões de patacas (26.627 milhões de euros), uma queda de 34,3% face a 2014.

Tratou-se do segundo ano consecutivo de quebra das receitas depois de, em 2014, terem sofrido uma diminuição de 2,6%.

Macau, o mais centro de jogo do mundo, contava, no final do ano passado, com 5.957 mesas de jogo e 14.578 ‘slot machines’ distribuídas por um universo de 36 casinos.

Com o jogo a constituir a principal alavanca da Região Administrativa Especial, a diminuição das receitas dos casinos conduziu à queda continuada da taxa de crescimento real do Produto Interno Bruto (PIB) desde o primeiro trimestre de 2014.

Nos primeiros três trimestres de 2015, o PIB de Macau contraiu-se 25% em termos reais.

Os dados do PIB relativos ao quarto e último trimestre e a todo o ano passado vão ser divulgados em meados do próximo mês.