Os deputados do PS querem ouvir o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, a propósito da solução encontrada para a TAP e anunciada este fim-de-semana. Tal como Observador então noticiou, o governo de António Costa conseguiu recuperar 50% da TAP para o Estado, mantendo o Consórcio Atlantic Gateway com os restantes 50% da empresa privatizada pelo governo de Passos Coelho.

“Considerando a importância da TAP para o nosso país, sendo uma das nossas maiores empresas exportadoras, e uma vez que devem ser dadas as devidas explicações pelo Senhor Ministro que tutela esta área quanto aos contornos do princípio de acordo que foi alcançado, bem como as suas implicações para o futuro da empresa”, referem os deputados do PS no requerimento entregue esta segunda-feira.

O requerimento dirigido à Comissão de Economia, Obras Públicas e Inovação é assinado pelos deputados socialistas Luís Moreira Testa, João Paulo Correia e Carlos Pereira – que pedem a audição do ministro com caráter de urgência.

O Governo e o consórcio Gateway assinaram este sábado o acordo para alterar o negócio de privatização da companhia. No contrato agora assinado, o Estado ainda não é o principal acionista – apesar de o ministro Pedro Marques assim o ter assumido. É que falta alienar 5% do capital social para os trabalhadores. Só depois, de acordo com o contrato, a participação da Gateway reduz para 45%, embora a TAP mantenha o estatuto de empresa privada