A Corticeira Amorim obteve resultados líquidos de 55 milhões de euros em 2015, o que representa um crescimento de 53,9% relativamente ao período homólogo de 2014, anunciou a empresa numa comunicação ao mercado.

Na informação enviada à Comissão do Mercado dos Valores Mobiliários (CMVM), a Corticeira Amorim comunica que as vendas cresceram 7,9% face a 2014, para os 604,8 milhões de euros, impulsionadas pelas unidades de negócios de rolhas e aglomerados compósitos.

O EBITDA (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização) “superou, pela primeira vez, os 100 milhões de euros (100,7 milhões)”, o que representou uma subida de 16,1% face ao exercício de 2014, que levou este indicador “para o valor mais alto de sempre, representando 16,7% das vendas, o que compara favoravelmente com os 15,5% do exercício de 2014”.

O resultado líquido, com um aumento de 53,9% face ao lucro alcançado em 2014, ultrapassa pela primeira vez os 50 milhões de euros, ascendendo a 55,012 milhões no final de dezembro de 2015, assinala a empresa.

“Para o bom comportamento destes indicadores contribuiu a valorização do USD (dólar norte-americano) que, em conjunto com a dinâmica do mercado norte-americano, se revelou de grande importância para o exercício da Corticeira Amorim, que vê os Estados Unidos da América consolidarem a sua posição de principal mercado”, refere.

A corticeira salienta “a boa performance registada ao nível da função financeira, influenciada pela descida das taxas de juro e do endividamento líquido (83,9 de milhões de euros), com uma redução de 3,7 milhões de euros face a 2014”, destacando ainda “a utilização do empréstimo do BEI, no montante de 35 de milhões de euros, pelo período de 10 anos com 4 anos de carência para financiamento do programa de IDI 2014-17, a taxas de juro muito competitivas”.

“O conselho de administração deliberou propor à assembleia geral de acionistas a distribuição de um dividendo bruto de 0,16 euros por ação”, indica ainda a Corticeira Amorim na sua comunicação ao mercado.