No mundo globalizado em que vivemos hoje, interligado pelo on-line e pelos evoluídos meios de transporte, as fronteiras parecem ter deixado de existir, e o globo parece ter ficado mais pequeno. E a sensação é que, a cada dia que passa, os países se aproximam cada vez mais. Apesar de a Terra não ter diminuído o seu tamanho, este facto fica demonstrado pelas histórias que acontecem todos os dias e por todo o mundo.

E que melhor exemplo disso mesmo do que o de Melody Madill, uma estudante na cidade neozelandesa de Dunedin, e da sua namorada Anna Messner que vive nos Estados Unidos?

Anna messner facebook

Anna Messner

Ora, conta o jornal The Guardian, na terça-feira à tarde o casal, separado por um oceano inteiro, falava pelo tradicional Skype. Até que Madill começou a sofrer um ataque epilético. Messner, a namorada, assistia a tudo com um enorme sentimento de impotência. Ainda ligou para o número de emergências americano mas rapidamente lhe disseram que nada podiam fazer. No meio do desespero que começava agora a crescer, a americana lembrou-se que estava na Internet e que aí não existem fronteiras, nem oceanos, a separá-la da namorada.

Melody Madill facebook

As companheiras passavam horas a falar pelo Skype

Assim, acedeu ao fórum no site Reddit, pedindo a alguém na Nova Zelândia que ligasse para o número de emergência. A publicação tinha o título “Mayday need someone to call 111” (Socorro preciso de alguém que ligue para o 111), sendo que, minutos depois, Messner escreveu apenas HELP. Os seus pedidos de ajuda duraram apenas 10 minutos, porque passado esse tempo Jana Hayes viu os apelos desesperados vindos do outro lado do mundo e chamou uma ambulância.

45 minutos. Foi este o tempo durante o qual Madill começou a ter o ataque e Messner ouviu, a partir dos Estados Unidos, a equipa de emergência a bater à porta da namorada. A seguir, conta ao Guardian, Messner começou a gritar aos paramédicos, através do computador, que Madill estava no “estúdio”, começando depois a gritar “ajuda” para chamar ainda mais a atenção das equipas de urgência. Mas foi a própria Madill que se levantou e abriu a porta.

Depois do incidente, a estudante residente na Nova Zelândia, que não sofria um ataque epilético há 10 anos, estava muito “confusa” e a última coisa de que se lembrava era de estar à conversa com a namorada americana. Já Messner continuava em contacto, agora através do Facebook, com Jana Hayes, que é já conhecida no Reddit por “salva-vidas”.