Yanis Varoufakis

Varoufakis vai assessorar líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn

566

Os ex-ministro das Finanças grego foi recrutado para aconselhar financeiramente o Partido Trabalhista inglês, afirma o líder do partido, Jeremy Corbin.

PACO CAMPUS/EPA

Yanis Varoufakis vai assessorar o Partido Trabalhista inglês, afirmou o líder trabalhista, Jeremy Corbin. Varoufakis fez parte do governo grego, quando o Syriza chegou ao poder, sendo o responsável inicial pela negociação com os credores da dívida grega. O ministro demitiu-se do governo de Alexis Tsipras em julho de 2015 e dedica-se agora a fazer campanha a favor de uma reforma democrática da União Europeia, tendo criado um novo partido.

“Varoufakis é interessante, porque passou por todas as negociações – com o Banco Central Europeu, a Comissão Europeia e o Fundo Monetário Internacional”, afirmou Corbyn, numa entrevista ao jornal Islington Tribune.

Corbyn, reuniu-se no mês passado com o primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, para debater uma reforma da UE. Após o encontro, o deputado britânico disse que “a forma como a Grécia foi tratada é horrível” e que, por isso, “todos deveríamos aproximar-nos” do país.

Sobre o ex-ministro das Finanças grego, o líder trabalhista confirmou que se reuniu com o responsável da Economia trabalhista, John McDonnell, e que Varoufakis vai assessorar o seu partido “de alguma maneira”.

Fontes do Partido Trabalhista disseram ao diário britânico The Guardian que Varoufakis não tem um papel de assessoria formal dentro da formação política, mas acrescentaram que, em finais do próximo mês, proferirá uma conferência sobre nova economia na qual assessorará o partido sobre questões de finanças.

No ano passado, Varoufakis revelou que mantinha “conversações” com o Partido Trabalhista britânico e disse então que o seu “conselho a essa formação política” era que “se afastasse da austeridade”.

Em pleno debate sobre a permanência do Reino Unido na UE, Corbyn assegurou que fará campanha para o referendo de 23 de junho próximo, a favor de que o país permaneça dentro do bloco comunitário.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Não há eleições europeias /premium

João Marques de Almeida

O parlamento europeu serve sobretudo para reforçar o poder dos grandes países, cujos partidos dominam os grupos políticos e, principalmente, as comissões parlamentares se fazem as emendas legislativas

Política

O caso Berardo e o regresso a Auschwitz

Luís Filipe Torgal

A psicologia de massas, manipulada pelos novos cénicos «chefes providenciais», vai transfigurando a história em mito, crendo num «admirável mundo novo», depreciando a democracia, diabolizando a Europa

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)