ficcao_primavera

A Bertrand Editora vai começar o mês com o lançamento de Uma Velha e o Seu Gato, um dos mais emblemáticos contos de Doris Lessing. Uma Velha e o Seu Gato conta a história de uma mulher de origem cigana que, à medida que vai envelhecendo, vai-se desligando lentamente do mundo que a rodeia e da convivência com os outros. A sua única companhia é o seu gato. O livro inclui ainda o conto A História de Dois Cães, que mais uma vez expressa o amor que a Prémio Nobel da Literatura tinha pelos animais. O livro chega às livrarias no dia 1 de abril.

Pela Antígona, sairá Kallocaína, de Karin Boye, um dos grandes vultos da literatura sueca da primeira metade do século XX. Kallocaína, editado pela primeira vez em 1940, é um romance distópico (na veia de 1984 e Admirável Mundo Novo) inspirado pelo apogeu do nacional-socialismo na Alemanha. A tradução, feita a partir do sueco, é de João Reis.

A 9 de abril, chega às livrarias Os Contos Inéditos de Dog Mendonça e Pizzaboy, o quarto e último volume da série de banda desenhada de Filipe Melo. O desenho é de Juan Cavia, a cor de Santiago R. Villa e o prefácio do realizador norte-americano Lloyd Kaufman, que escreveu:

“O livro que estão prestes a ler é brilhante — verdadeira liberdade de expressão com belíssimos recursos brechtianos. Os autores não só quebram a quarta parede, como a rebentam pelos ares!”

Também pela Tinta-da-China, será lançado no dia 14 de abril Paraíso, da brasileira Tatiana Salem Levy. No dia seguinte, a Tinta-da-China vai editar a Obra Completa de Alberto Caeiro que, pela primeira vez, surge reunida num único volume. A edição, que inclui vários inéditos do Mestre Caeiro, é da responsabilidade dos pessoanos Jeronimo Pizarro, coordenador da coleção Fernando Pessoa da editora, e Patricio Ferrari.

Na Guerra e Paz, a coleção de grandes clássicos da literatura continua a crescer. Este mês, a editora irá publicar a Volta ao Mundo em 80 Dias, uma das obras mais famosas do escritor francês Júlio Verne. Em abril, a editora irá ainda lançar Já Bocage Não Sou, uma “narrativa biográfica” de José Jorge Letria. E por falar em clássicos, a Livros do Brasil irá editar O Livro da Selva, a famosa obra de Rudyard Kipling. Com tradução de José Francisco dos Santos, a edição conta com as ilustrações originais do livro, publicado pela primeira vez em 1894. O lançamento, marcado para 14 de abril, coincide com a estreia em Portugal da nova adaptação da Disney.

Em 1916, numa carta dirigida ao seu editor, Franz Kafka expressou a vontade publicar em conjunto três dos seus textos — os contos A sentença, O fogueiro e a novela A metamorfose. Passados 100 anos, a editora Ítaca decidiu fazer-lhe a vontade. Sob o título Os Filhos, “por existir entre eles uma conexão secreta”, o conjunto de textos será publicado a 7 de abril.

Na Relógio d’Água, o mês de abril promete ser em cheio. Logo na primeira semana será publicada uma antologia de contos da celebrada autora brasileira Clarice Lispector, Todos os Contos, e a obra A Campânula de Vidro, da escritora norte-americana Sylvia Plath. Para meados do mês, a editora tem planeado o lançamento de Ensaios Escolhidos, de George Orwell, uma nova edição de Cândido ou o Otimismo, a famosa sátira de Voltaire (também editada em português pela Tinta-da-China), e O Homem do Castelo Alto, de Philip K. Dick.

Do autor de ficção científica, sairá também, no final de abril, Blade Runner (originalmente Do Androids Dream of Electric Sheep?), o livro que deu origem ao célebre filme de 1982, realizado por Ridley Scott. Na mesma altura, será ainda publicado o romance Emma, de Jane Austen.

BeFunky Collage2

Na Assírio & Alvim, o mês de abril irá começar com a publicação de Bisonte, de Daniel Jonas, vencedor do Prémio APE, na categoria de “Poesia”, em 2015. A Bisonte, seguir-se-á o livro de poesia A Asa e a Luz, do Prémio Nobel da Literatura Rabindranath Tagore, e a reedição das obras Vertentes do Olhar e O outro nome da terra, de Eugénio de Andrade.

Pela Porto Editora, será lançado no dia 7 de abril Francamente, Frank, o novo livro de Richard Ford, finalista do Prémio Pulitzer. Um dia antes, sairá O Segredo de Cibelle, de Juliet Marillier, pela Editorial Planeta, que tem vindo a publicar a obra da famosa escritora de fantasia histórica em Portugal. Já na Sextante, será publicado um novo livro de contos de Rubem Fonseca, Histórias Curtas.

nao_ficcao_primavera

No dia 1 de abril, será lançado pela Bertrand Guerra! Para que Serve?, uma quase-enciclopédia da autoria do historiador britânico Ian Morris. Com mais de 700 páginas, o livro narra a história de mais de 15 mil anos de guerra, desde os homens da Idade da Pedra aos robôs, e a forma como influenciou o desenvolvimento das sociedades. Nas Edições 70, parte do Grupo Almedina, será publicado Reinos Desaparecidos, uma “história alternativa” da Europa da autoria do historiador Norman Davis.

E por falar em história, pela Antígona sairá A Armadilha Daech — O Estado Islâmico ou o Retorno da História, do francês Pierre-Jean Luizard. No livro, inicialmente programado para sair em março, Luizard recua ao período colonial e à presença otomana na Síria e no Iraque, e analisa de forma lúcida os efeitos duradouros do Estado Islâmico no Médio Oriente.

BeFunky Collage23

Pela Objetiva, irá sair a 20 de abril Europa à Deriva, do esloveno Slavoj Žižek. O livro uma reflexão sobre o estado atual da Europa onde, a migração em massa e o terrorismo fizeram mergulhar o velho continente naquela que é, provavelmente, a pior crise desde a Segunda Guerra Mundial. Considerado um dos intelectuais mais controversos da atualidade, Žižek viajou até Portugal em 2014, para receber a Medalha de Honra da Faculdade de Belas Artes do Porto. No mesmo dia, a Objetiva irá lançar ainda Política, do analista político britânico David Runciman. Política é uma análise atual e precisa sobre a forma como as políticas influenciam o destino dos países.

“O que têm em comum o Paraíso e o Inferno? É tentador pensar que um representa a ausência de política (Paraíso) e que o outro representa o fracasso da política (Inferno)”, escreveu Runciman.

No mês em que se assinalam os 400 anos da morte de Miguel de Cervantes, a Bertrand irá as Novelas Exemplares do autor espanhol, numa tradução de Aquilino Ribeiro. Na Quetzal, sairá As Coisas que os Homens me Explicam, um conjunto de textos sobre a desigualdade de género de Rebecca Solnit, uma das mais aclamadas ensaístas norte-americanas.

E como abril também é o mês de William Shakespeare, no ano em que se assinalam os 400 anos da morte do dramaturgo inglês (que coincidem com os 400 anos da morte de Cervantes), a Bertrand irá lançar Shakespeare, uma biografia de Bill Bryson.

infatil_primavera

Em abril, a Orfeu Negro terá duas novidades da coleção “Orfeu Mini” — Baltasar, o Grande, a estreia da ilustradora sul-africana Kirsten Sims, e Mamã?, de Chris Haughton. Baltasar, o Grande, pensado para crianças dos três aos seis anos, conta a história de Baltasar, o melhor urso violinista do mundo que, depois de ser libertado do circo onde vivia, inicia uma longa viagem. Mamã? (para crianças até aos três anos) é a estreia em Portugal de Chris Haughton, um dos ilustradores infantis mais conhecidos e aclamados a nível internacional. O livro segue as aventuras do Pequeno Mocho que, depois de cair do ninho, vai precisar da ajuda dos animais da floresta para encontrar a sua mãe.

Pela editora Booksmile, irá sair mais um livro de Mo Williams. Depois Não Deixes o Pombo Ficar Acordado até Tarde!, este mês será editado O Pombo Quer um Cãozinho, o quarto da saga do Pombo. Williams, autor e ilustrador que começou a sua carreira como argumentista na série Rua Sésamo (e onde ganhou seis Emmys), já vendeu mais de sete milhões de livros em todo o mundo.