Saja al-Dulaimi, a ex-mulher do líder do Daesh, revelou como era viver com Abu Bakr al-Baghdadi e confessou que teme pela filha que tem com o líder do grupo extremista.

Ele era um homem de família“, afirma a certa altura Dulaimi, durante a entrevista dada à CNN. A iraquiana explica que quando casou com Baghdadi este ainda não era um “terrorista sedento de sangue”, mas sim uma pessoa “normal, um professor numa universidade”.

O casamento – combinado – foi celebrado em 2008.

A ex-mulher do líder do Daesh referiu durante a entrevista que o terrorista era “um pai ideal para as crianças”, uma característica que não se estendia à mãe das crianças. Dulaimi afirmou que o marido não comunicava muito com ela, devido à sua “personalidade misteriosa” e que era complicado ter de partilhar o marido com a sua outra mulher. “É complicado para duas mulheres viverem juntas”.

Em 2009 Dulaimi fugiu de casa depois de engravidar, justificando a fuga com o facto de não estar feliz na relação com Baghdadi. O líder do grupo islâmico terá tentado contactar com a mulher várias vezes para a conseguir ter de volta.

A ex-mulher de Baghdadi afirma estar preocupada com a segurança da filha com a qual fugiu, pretendendo mudar-se com ela para um país europeu.

Dulaimi lamenta ter de ser reconhecida apenas como a “ex-mulher de um terrorista”, tendo até sido presa em 2014, enquanto tentava fugir da Síria.

A entrevista termina com Dulaimi a afirmar: “Quero viver em liberdade, viver como toda a gente.”