Já muitos percorreram as águas do misterioso lago escocês que, alegadamente, alberga um dos mais famosos e míticos monstros do mundo. A busca pelo monstro do Lago Ness até já mobilizou a Google. Desta vez, as buscas foram feitas pelo Loch Ness Project, que enviou o robot Munin à procura do monstro nas profundezas da água do lago. O robot encontrou, de facto, um monstro, mas não aquele que procuravam, conta o The Independent.

No fundo do lago estava um modelo do monstro lendário com mais de nove metros que terá sido usado nas gravações do filme The Private Life of Sherlock Holmes, de Billy Wilder. No final da rodagem do filme, a equipa desfez-se do adereço atirando-o para o lago. Agora a realidade imita a ficção já que no filme o modelo era apresentado como aquilo que muitos acreditavam ser o monstro, mas na realidade era um submarino naval.

Estas buscas já duram há duas semanas e ainda podem vir a descobrir pistas que levem ao verdadeiro monstro. Já várias buscas foram feitas no local, mas os resultados são inconclusivos, já que o lago é muito profundo e tem um declive acentuado. É talvez por ser tão inacessível que este é considerado um habitat provável para um monstro.

Estas foram as investigações mais minuciosas até à data, já que o Munin consegue mergulhar até uma profundidade de 1.500 metros.

Até agora não há respostas conclusivas, mas talvez seja melhor assim, já que a lenda do monstro de Lago Ness garante à economia escocesa mais de 750 milhões de euros anuais devido aos visitantes na região.