Rádio Observador

Contratos de Associação

Marcelo afasta-se de comunicado dos colégios privados

Presidente da República distanciou-se do comunicado do movimento dos colégios privados, mas está empenhado em encontrar uma solução. Cortes definitivos podem entrar em vigor só daqui a um ano.

Autor
  • João Pedro Pincha

À saída de uma reunião com o Presidente da República na quinta-feira, o movimento Defesa da Escola Ponto afirmou que Marcelo Rebelo de Sousa está empenhado em encontrar um “ponto de equilíbrio” entre as posições do Governo e dos colégios privados sobre a revisão dos contratos de associação. Mais tarde, a Presidência fez saber que Marcelo não se revê nas palavras do movimento e que não se responsabiliza por elas.

Fonte oficial do Palácio de Belém afirma que, não só “o comunicado não foi sequer mencionado na audiência”, como é “da exclusiva responsabilidade do movimento e da interpretação que quis fazer das palavras do Presidente da República”.

Uma solução de equilíbrio é a que é noticiada esta sexta-feira pela Renascença. Segundo a rádio, o Governo está a estudar implementar os cortes aos contratos de associação apenas daqui a um ano, tornando o próximo ano letivo um período de transição. Ainda segundo a Renascença, a Presidência da República está diretamente envolvida no esforço para alcançar um consenso entre o Ministério da Educação e os colégios privados, que marcaram uma manifestação nacional para o próximo domingo.

Nesse protesto, que decorrerá em Lisboa (entre a Avenida 24 de Julho e a Assembleia da República), está já confirmada a presença de 19 mil pessoas, mas o movimento espera cerca de 25 mil. Entre os manifestantes estarão vários deputados e autarcas do PSD e do CDS, mas também do PS, que têm pressionado o Governo nos bastidores para que se chegue rapidamente a um consenso. É que para o ano há eleições autárquicas.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Ministério da Educação

Um mau serviço à Educação

Carlos Fiolhais
1.005

Os governantes que na prática fecharam o Colégio da Imaculada Conceição, prestando um mau serviço à educação, desconhecem provavelmente os contributos dos Jesuítas para o ensino, a ciência e a cultura

Contratos de Associação

O fim de um princípio

Ana Rita Bessa
1.178

Diminui o número das escolas com contratos de associação, mas há mais alunos no ensino privado. O que sugere que tais colégios perderam a diversidade, tendo saído, sem escolha, os que não podiam pagar

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)