Já lá vai o tempo em que o pregão “é frutóóóchocolate?” fazia sentido. Com as geladarias a aguçar, cada vez mais, a criatividade, a descobrir novas matérias-primas, e, consequentemente, a convidar os clientes a sair da sua zona de conforto (leia-se uma bola de morango e outra de chocolate), hoje não haveria frase do género que coubesse nestas linhas. Principalmente com o aproximar do verão. Para o provar — e dar a provar — eis um roteiro porta-a-porta com as novidades que as melhores representantes de Lisboa e Porto nesta matéria têm vindo a apresentar nos últimos tempos.

Separador_Lisboa

Partindo da redação do Observador, no Bairro Alto, a primeira paragem é a pequena sucursal da Gelato Mu (Rua Dom Pedro V, 1. A partir de 2,4€), mesmo em frente ao Miradouro de São Pedro de Alcântara. Sucursal, sim, porque a casa-mãe fica no Campo Mártires da Mátria. O simpático dono, Marco Bauli, diz-nos que as novidades principais são, para já três: ginja, canela e a mistura kibana. Disse kibana? O nome ajuda a desvendar: kiwi com banana. “Mais para frente vamos ter também chocolate com ginja”, avisa o italiano. Esperemos, então.

Descendo, via Príncipe Real, até São Bento, encontra-se a Nannarella (Rua Nova da Piedade, 68. A partir de 2€), que vai causando filas de gente ansiosa por um gelado rua acima (ou abaixo, vai variando) desde março de 2013. Nesta altura, o sabor do momento é o melano, uma fresquíssima mistura de melão e limão. Quem preferir algo mais substancial, pode apostar na banannarella, que junta, na mesma cuvete, banana, chocolate e noz.

A próxima paragem é na Davvero (Praça de São Paulo, 1. A partir de 1,50€), já no Cais do Sodré. Aqui, a grande novidade vai aparecer no dia 13, o de Santo António, conta-nos Riccardo, um dos donos. “Vamos fazer gelado de sardinha.” Vai ser uma experiência pontual. “Só o vamos servir nesse dia”, avisa. Bom, não será tão consensual como os outros sabores recentes da casa, elencados pelo mesmo responsável: abacate, caramelo salgado, cheesecake de limão ou sorvete de cenoura. Outro que está nos planos da casa — que, recorde-se, teve direito a artigo do Observador logo após a sua abertura — é alfazema com gengibre.

gelataria, gelato devvero, gelados italianos,

Na Davvero, não faltam opções de cones para acompanhar um dos novos sabores.
(foto: Sebastião Almeida / Observador)

Sigamos viagem. Na Rua da Prata é impossível não parar na Fragoleto (Rua da Prata, 61. A partir de 2,30€). Todos os anos a responsável Manuela Carabina decide trazer às vitrinas algo de novo. E não se fica, necessariamente, pelas frutas de época, como o mirtilo, que voltou no final de maio. Assim, a maior novidade dos últimos tempos junta os dotes da marca aos da cervejeira artesanal Arrábida Beer Company (ABC). Resultado: quatro gelados diferentes, cada um baseado numa cerveja diferente: Melro-Azul (cerveja de trigo), Petisca (lager), Coruja Branca (porter) e Raposa Vermelha (amber ale).

No Chiado, a Santini (Rua do Carmo, 9. A partir de 2,90€) ainda está, segundo a sua assessoria de comunicação, “a fechar os novos sabores”. Mas segundo adianta a mesma fonte, muito em breve deverão surgir sabores que misturam iogurte grego com várias frutas e sorvetes à base de chás. Por exemplo: chá preto com limão e canela.

Saindo do centro nevrálgico da cidade em direção às Avenidas Novas, vale a pena desbravar o verde dos Jardins da Fundação Calouste Gulbenkian, até encontrar a Ice Gourmet (Entrada pela Avenida Marquês Sá da Bandeira. A partir de 2,40€), onde se servem os gelados criados pelo chef Bertílio Gomes e pela mulher Maria Santos. E é Maria que nos fala sobre as novidades da marca. Além do sabor da semana — alperce biológico da algarvia Companhia das Culturas –, que estará disponível até à próxima segunda-feira, a responsável destaca outros dois: flores de jardim, feito para celebrar os 60 anos da Fundação (entra na próxima terça-feira), e o de pastel de nata, que já esteve disponível e voltará, em breve, a ser reposto.

ICE GOURMET TP

O alperce biológico da Companhia das Culturas é o sabor da semana da Ice Gourmet, nos Jardins da Fundação Gulbenkian. (© Tiago Pais/Observador)

E estamos quase no fim da viagem. Faltam três geladarias, todas na zona do Areeiro/Alvalde. Passamos, primeiro, pela FIB (Avenida Padre Manuel da Nóbrega, 13E. A partir de 2€) onde Moreno Gorrara, o responsável e mestre gelatiere, destaca três novidades: lima e gengibre, chocolate branco e tangerina e um variegato de cereja. Explica-nos Moreno que para fazer o variegato as cerejas são descaroçadas e passadas pelo forno, de modo a criar uma espécie de geleia. Outra novidade da casa, que não envolve sabor mas antes forma de servir, é a picciotta: um brioche siciliano que permite fazer uma sanduíche de gelado. Tudo em concordância com o mote da casa — il vero gelato italiano.

A 5 minutos da FIB, na Avenida de Roma, a Casa do Gelado 1981 (Avenida de Roma, 28H. A partir de 2,40€), conhecida pelos crepes e pela mítica cassata, não se fia apenas nos sabores do costume para agradar à clientela fiel: a respetiva vitrina tem apresentado sabores novos ultimamente, casos do kumquat, physalis, ananás com gengibre e hortelã, delícia de amendoim e um concorridíssimo cheesecake. Tão concorrido, aliás, que a círculo vermelho que indica sabor esgotado tem-se-lhe juntado com frequência.

Terminemos a passeata lisboeta, que já vai longa, junto à Avenida da Igreja, na geladaria mais invulgar desta lista, a Laboratório do Gelado Sub 196 (Rua José Duro, 21B. A partir de 3€). Antes de revelar os sabores novos, Pedro Torgal Viana, o Walter White de serviço, que maneja o nitrogénio líquido com que faz os gelados ao momento, faz questão de dizer que na sua geladaria todas as intolerâncias e limitações alimentares estão ressalvadas. “Não usamos leite, nem açúcar, nem glúten, isto são sorbets que usam apenas a frutose.Dito isto, vamos à ação: comecemos pelo de mirtilo com framboesa. Avancemos, depois, para o de manga e citronela com coulis de goiaba em pipeta. E que tal um de figo e Vinho do Porto Ruby com amêndoa palitada? Mas o ex-líbris do verão será outro: um gelado de ananás e goiabada, servido em casca de coco, com uma pipeta de rum para se injetar na mistura. Promete, principalmente if you like piña coladas…

Separador_Porto

Pensar em gelados portuenses é o mesmo que dizer Neveiros (Rua da Alegria, 930. A partir de 1,50€). Com cerca de 60 sabores disponíveis, a geladaria mais antiga da cidade não é de modas e não vai ter sabores novos para o verão. Mas fica a sugestão: melancia, melão, meloa, coco com malagueta e maçã verde saem muito bem nos dias de calor.

Descemos então toda a Rua da Alegria em direção ao La Copa (Avenida Rodrigues de Freitas, 366. A partir de 1,90€), que no dia 21 de junho comemora dois anos de vida. Quem for com tempo pode sentar-se na esplanada e pedir o manjericão, por exemplo, ou um dos muitos sabores de fruta que entram em peso na montra por esta altura, ou o lemon curd. “Só eu é que tenho, é um sabor exclusivo”, garante Emília Ferreira, a proprietária.

Em breve haverá mais novidades, já que Emília está sempre a experimentar sabores novos. Não queria revelar, mas lá acede a adiantar um deles. “Eu aproveito sempre as frutas da época para fazer os gelados, para tê-los no seu estado melhor de maturação. E vou ter lavanda quando houver lavanda. Está quase quase no tempo delas”, adianta. No La Copa há cerca de 25 sabores disponíveis.

la copa gelataria porto esplanada

Na esplanada do La Copa, ficar no canto não é castigo nenhum.
(foto: © Divulgação)

A Amorefrato (Rua Passos Manuel, 69. A partir de 2€) não tem esplanada, mas vai ter dois sabores novos a partir desta quinta-feira que dificilmente se encontram em mais algum espaço da cidade: um gelado de vinho Alvarinho com manga e outro do mesmo vinho com frutos vermelhos. Os gelados aqui vão-se renovando constantemente, pelo que é possível que, após a publicação deste artigo, a responsável Carla Moreira se lembre de fazer novas experiências e coloque mais novidades na montra.

Conhecemos o Liquid (Rua do Almada, 203, e também em Matosinhos Sul, na Avenida da República, 579) pelos batidos de fruta e pelas refeições saudáveis. Agora, também podemos ir lá pedir um gelado. Ao todo há seis para provar, todos por 4,60€ e todos levam banana. O “Sweet” tem maçã, frutos silvestres, nozes ativadas e passas, o “Sunset” leva só manga e leite de coco (para além da banana, claro), o “Morena” tem cacau cru, leite de coco e sementes de cânhamo, o “Havai” é feito com leite de arroz, abacate, mel, amêndoas e espinafres (se nunca comeu um gelado com espinafres, esta é a oportunidade), o “Aftersun” tem maçã, cacau cru, manteiga de amendoim e sementes de cânhamo e o “Addiction” é feito com gelado de açaí, maçã e granola. “Prazer sem culpa”, dizem eles, por não entrarem aqui corantes nem conservantes.

crenosi gelado

Pode comer várias bolas de gelado de vodka limão da Cremosi, que não perde pontos na carta por isso. (foto: © Sara Otto Coelho / Observador)

Duas das geladarias mais conhecidas da cidade resolveram expandir-se recentemente. Primeiro foi a Cremosi, que abriu um espaço na Rua Mouzinho da Silveira, a juntar aos que já existem na Rua de Ceuta, no Mercado Bom Sucesso e junto às praias de Matosinhos e à de Lavadores, esta última em Vila Nova de Gaia. José Petiz interrompe o fabrico para nos explicar que já tem disponível o sorvete de vodka limão, por exemplo. “Todos os meses faço sorvetes novos”, avisa o proprietário. No fim de semana chega o sabor de lima, menta e gengibre. Em rotatividade vão estar também o de limão e manjericão, o de chá verde com hortelã, mel com gengibre, iogurte de manga e cardamomo e o de laranja, morango e mel. O melhor é terminar a chamada, que José Petiz tem de acertar na mais recente novidade, o de gengibre, canela e laranja. Cada bola ronda os 1,80€.

Já em abril foi a vez de a Sincelo abrir uma segunda casa, no número 14 do Passeio de São Lázaro, a juntar à morada que mantém desde 1980 na Rua de Ceuta. Para o verão apostam no sorvete de ananás e de goiaba, explica Teresa Aguiar, proprietária da marca. E em mais duas combinações que fazem crescer água na boa: Morango-lima e tarte de limão. Uma bola custa 2,50€.