Para o Bloco de Esquerda é uma “humilhação inútil”, mas para o Governo é “um mecanismo de controlo”. Os desempregados vão continuar a ter de se apresentar a cada quinze dias nos centros de emprego, para comprovar que continuam à procura de trabalho. O Governo rejeitou esta quarta-feira a ideia que tinha sido sugerida pelo Bloco de Esquerda, numa proposta entregue na Assembleia da República, em janeiro.

O Governo não está disponível para abdicar de mecanismos de controlo efetivo dos desempregados”, disse Miguel Cabrita, secretário de Estado do Emprego, citado pela Lusa.

O governante estava a ser ouvido na Comissão Parlamentar de Trabalho e Segurança Social, na Assembleia da República.

A apresentação quinzenal é decisiva para os desempregados que recebem subsídios por estarem sem trabalho. É que ao fim de duas faltas de apresentação no centro de desemprego da sua área de residência, ou noutras entidades protocoladas, os desempregados são excluídos das listas e deixam de receber o subsídio.

O Bloco de Esquerda considerou esta obrigação uma “humilhação inútil”, uma vez que os desempregados já são obrigados a comunicar alterações de residência ou ausências do país. Em abril, o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, chegou a admitir estudar a sugestão.