O Partido Trabalhista britânico continua enredado nas malhas do anti-semitismo, uma polémica da qual parece estar longe de conseguir livrar-se. Jeremy Corbyn, líder do partido, lançou mais uma acha para a fogueira quando fez uma afirmação na qual parece comparar Israel ao Estado Islâmico, refere o The Guardian.

“Os nossos amigos judeus não são mais responsáveis pelas ações de Israel do que os nossos amigos muçulmanos são pelo auto-denominado Estado Islâmico”, disse Corbyn no lançamento de um relatório sobre o anti-semistismo pelo Partido Trabalhista.

https://twitter.com/PolhomeEditor/status/748462143213871104

Quando foi questionado por um jornalista acerca do conteúdo da frase dúbia, Corbyn negou a comparação embora a frase constasse do seu discurso oficial.

No passado mês de abril, Ken Livingstone, antigo presidente da câmara de Londres, foi suspenso do Partido Trabalhista depois de ter sido acusado por membros do parlamento britânico de anti-semitismo. Dias depois da parlamentar trabalhista Naz Shah também ter sido suspensa na sequência de comentários anti-semitas que havia feito em 2014 (antes de ser eleita), nas redes sociais.