Depois de um primeiro anúncio em fevereiro, onde foi dado a conhecer o nome do projeto e pouco mais, como o Observador escreveu na altura, desvenda-se agora um pouco mais daquilo que será o Bairro do Avillez, o novíssimo projeto de José Avillez, que ocupará um espaço amplo, contíguo à Academia dos Amadores de Música, na Rua Nova da Trindade, no Chiado (onde estão, aliás, todos os restaurantes do chef).

E o que há para desvendar? Em primeiro lugar, a data de inauguração. Era intenção inicial dos responsáveis ter aberto de forma progressiva a partir de maio. Mas numa obra desta dimensão — não se trata de um simples restaurante, atenção — é normal essas previsões saírem furadas. Foi o caso. Os responsáveis asseguram agora que o Bairro do Avillez abrirá as suas portas durante o mês de agosto, sem avançar, contudo, uma data concreta.

Mariana Marques,

O chef José Avillez fotografado em frente a uma das janelas do seu bairro.
(foto: © Mariana Marques)

Já se sabia, também, que o espaço ia reunir vários conceitos. O que não se sabia, ainda, era que conceitos seriam esses. Ora bem, serão pelo menos três: Mercearia, Taberna e um Páteo, cada qual com o seu tipo de oferta. Segundo o comunicado dos responsáveis: na Mercearia poderão comprar-se “iguarias, presentes, livros e acessórios dignos de chef”, a Taberna será para “quem gosta de comer bem” e no Páteo, que é descrito como “o mais espetacular da cidade”, reinarão “o peixe e o marisco”. Haverá também, ainda segundo o mesmo comunicado, “um espaço totalmente dedicado a grupos”, cuja designação ainda não foi divulgada oficialmente.

O conceito Very Atypical — Atipicamente Lisboeta deixa entender que se tratará de um projeto que unirá a tipicidade dos bairros lisboetas à singularidade dos conceitos escolhidos e do trabalho do chef. O lote de imagens disponíveis é reduzido — além das que ilustram o artigo há outras tantas na fotogaleria, em cima — mas sabe-se, por exemplo, que o design de interiores estará a cargo do ateliê Anahoryalmeida, que já colaborou com Avillez em vários dos seus outros restaurantes, e incluirá elementos da autoria da arquiteta e cenógrafa Joana Astolfi. Esta também já mostrou, nas redes sociais, o evoluir dos trabalhos. Os painéis de azulejos com ilustrações, à entrada, também já se encontram visíveis, mesmo com a obra ainda a decorrer. Serão, ao que parece, uma colaboração com a Fábrica Viúva Lamego. Resumindo, a coisa promete. E já só falta menos de um mês para agosto.